A censura criminosa no Acre persiste: Tião Viana e Gazeta FM tiram Eliane Sinhasique do ar pela segunda vez

Eliane entrevista o prefeito eleito Marcus Alexandre e cobra melhorias para a capital. Momentos como este incomodam o PT

Por Assem Neto.

Precisamos refletir sobre o valor que tem uma imprensa livre e a importância da liberdade de expressão para a construção do pensamento humano. Esse acesso às informações é inegavelmente necessário. Mas aqui no Acre homens maus continuam exercendo um dos piores crimes: amordaçando ou simplesmente caçando o exercício de uma profissão tão importante quanto necessária. Os jornalistas e radialistas isentos foram tomados pela repetição de um crime social sem precedentes: a deputada Eliane Sinhasique, que acabara de reestrear sua Programa Toque e Retoque, pela Rádio 93.3 FM, foi “convidada” a largar os microfones. Em nota, a parlamentar relata os “medos” do governo, e enfatiza: “sei quer a imprensa e os meios de comunicação não são livres e minha luta continuará”. Eu, na condição de vítima desse  sistema imundo, que tem como orquestrador e sensor-mor o governador mais sonso e fingido que tivemos o desprazer de eleger, reafirmo: É preciso chutar a bunda do PT o quanto antes.

 

Leia abaixo a nota da deputada

DE NOVO ME TIRARAM DO AR!

A indignação tomou conta do meu ser. Novamente, sou obrigada a deixar os microfones da rádio Gazeta FM 93,3. Se isso não é perseguição política, o que é então???

É medo das verdades que eu falo. É medo do que o povo fala no meu horário de rádio. É medo que o povo saiba exatamente como é o Acre real. É medo que as pessoas saibam como de fato está os serviços de saúde: as filas de cirurgias, a falta de médicos, de remédios, a falta de exames de diagnóstico, a falta de tratamento, de leitos e de assistência.

É medo que todos saibam que na Segurança o serviço é precário por falta de homens, de armas, de viaturas, de combustível, de gestão e de suporte para combater o crime organizado que se instalou no Acre e ameaça nossos filhos dentro das escolas e nos nossos lares.

É medo que o povo tenha real noção da quantidade de obras que essa administração começou e não terminou! Somente na Saúde são mais de 50 obras capengando, sem conclusão e o dinheiro do povo indo pelo ralo.

É medo que a gente fale que um museu não pode ser prioridade enquanto o povo necessita de saúde e saneamento básico!

É medo que a gente revele que todos os dejetos de 14 conjuntos residenciais, só de Rio Branco, estão sendo jogados nos igarapés e no Rio Acre, sem nenhum tratamento.

Medo que a gente abra os olhos do povo para as tais Reservas Ambientais que tanto atraso trás para os homens da floresta.

Medo que a gente revele as mazelas que os mais necessitados estão vivendo e a incompetência administrativa dos petistas que se diziam os salvadores do povo acreano.

Medo que o povo saiba que o PT sempre teve um “Projeto de Poder” e não um Projeto de Governo que de fato estivesse focado no crescimento e desenvolvimento do Acre! Eles querem o povo pobre, subserviente e dependente de suas migalhas. Para eles, não é interessante um povo independente e próspero!

Medo que o povo se rebele, se revolte, contra os que aí estão por não fazerem o que prometem em suas campanhas eleitorais. Medo que o povo saiba que 80% das promessas de campanha não saíram do discurso e nem do papel!

Medo que a gente diga que o PT chegou ao poder no Acre fazendo greves, movimentos e manifestações e hoje proíbe, persegue e ameaça os trabalhadores que reivindicam seus direitos!

Mas, quanto mais tentam me calar mais me sinto motivada a continuar a combater as mentiras, os desmandos, a incompetência, o ranço e arrogância dos que comandam esse estado.

Sei que a imprensa e os meios de comunicação não são livres e minha luta continuará! Enquanto não houver liberdade de expressão, liberdade de informação, o povo vai continuar sendo tratado como marionete nas mãos dos ditadores de plantão!

Agora eu só posso contar com as redes sociais para falar o que vejo e revelar o que o povo não sabe. Conto com cada um de vocês que também não são cegos para, através das redes sociais, me acompanharem e compartilharem esses desmandos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *