Direito de resposta: a versão do médico que estava de plantão e venceu torneio de xadrex

0
5

Direito de Resposta – Lei Federal n. 13.188/2015

DINO LUIS HERNANDEZ CABRERA, médico, casado, residente do
Município de Plácido de Castro, Estado do Acre, de acordo com a Lei Federal n.
13.188/2015, vem respeitosamente, a Editora do site ACJornal, apresentar Direito
de Resposta, com correção de informações sobre matéria veiculada neste site nos
seguintes termos:
1 – O site ACJornal veiculou em mídia eletrônica matéria com o
seguinte título http://acjornal.com/medico-apresenta-atestado-falso-dribla-o-
plantao-abandona-pacientes-e-vence-concurso-de-xadrez-em-rio-branco datado
de 24 de dezembro de 2017.
2 – Sem ouvir o outro lado da “notícia”, sem averiguar a veracidade
das informações que noticiava, o site de forma antidemocrática, caluniosa e
leviana, levanta suspeita sobre a conduta profissional de profissionais devidamente
registrados no Conselho Regional de Medicina – CRM.
3 – Conforme comprovado no atestado médico e no prontuário de
atendimento, o médico DINO LUIS HERNANDEZ CABRERA foi atendido em
Unidade de Saúde, medicado e de acordo com seu quadro de saúde, recebeu
atestado médico de 2 (dois) dias para repouso, nos dias 7 e 8 de dezembro
passado. O Atestado Médico devidamente preenchido nos termos da legislação é
legível, carimbado e assinado por profissional médico regulamente inscrito no
Conselho de Classe.
4 – Conforme noticiado, o Torneio de Xadrez estava programado
para acontecer no período de 7 a 10 de dezembro, contudo, considerado o estado
de saúde do participante DINO LUIS HERNANDEZ CABRERA, que estava de
atestado médico, foi acordado com a Coordenação do evento e com o Presidente
da Federação de Xadrez do Acre, que as partidas adiadas seriam realizadas na
noite do dia 8 de dezembro e na manhã do dia 9 de dezembro, dando continuidade
ao resto das partidas conforme calendário do torneio, o que de fato ocorreu após
melhora no seu quadro de saúde.
5 – É importante informar que os médicos trabalham em escala de
plantão mensal e que dentro desta escala é possível fazer até 3 (três) trocas de
plantão com outro colega de profissão, foi isso que ocorreu no plantão do dia 10 de
dezembro, em que o médico DINO LUIS HERNANDEZ CABRERA trocou o
plantão diurno com o médico Carlos Renato Garcia, troca de plantão, que foi
devidamente informada a gestão do Hospital Geral de Plácido de Castro, de modo
que o atendimento no Hospital transcorreu normalmente e estas informações
podem ser confirmadas nos documentos do Plantão da data mencionada.
6 – Visando restabelecer a verdade, como profissional médico, visitei
a Federação de Xadrez, a Secretaria de Estado de Saúde, o Serviço Social de
Saúde PRÓ-SAÚDE, a Prefeitura Municipal de Plácido de Castro, a Secretaria
Municipal de Saúde de Plácido de Castro, o Conselho Municipal de Saúde de
Plácido de Castro e o Conselho Regional de Medicina – CRM, entregando em
todos os órgãos, cópia do atestado médico, cópia do prontuário de atendimento,
cópia da troca de plantão, cópia da declaração da Federação de Xadrez
informando as datas e horários do torneio, buscando em todos os órgãos
restabelecer e trazer a luz da verdade dos fatos.
7- Tendo em conta os transtornos e constrangimentos que a
acusação difamatória e caluniosa colocada como matéria sensacionalista
ocasionaram no senhor Dino Luis Hernández Cabrera, tanto perante sua família,
como perante os colegas de trabalho e amigos. O médico Dino Luis Hernández
Cabrera está processando os autores.

É imperioso destacar que o veículo de comunicação, que tem o
papel de informar, não desinforme, não busque acessos ou publicidade às custas
da mentira ou através de atendimento a vontade de grupos políticos, que não
tendo trabalho prestado ao Povo de Plácido de Castro, tentam com notícias
levianas manchar a imagem de pessoas de bem que trabalham diuturnamente
pelo povo Placidiano, não tendo nada que desabonem sua conduta.

Plácido de Castro-AC, 5 de janeiro de 2018.

Dino Luís Hernandez Cabrera
Médico

Nota da redação

A referida reportagem foi produzida e publicada no dia 24 de dezembro, um domingo, antevéspera do Natal. Por mais que tenhamos buscado contato, não foi possível localizar o referido médico, uma vez que a atendente do Hospital de Plácido de Castro, investida, supostamente, em razões profissionais, se negou a oferecer o telefone celular do profissional em questão. Se houve troca de plantões, esta informação não foi acrescentada na escala (veja aqui a reportagem completa), documento público que norteia, sobretudo, o cidadão que precisa de atendimento. Ademais, sobre a nota acima, é lamentável que esteja eivada de ataques gratuitos, sendo, portanto, uma tentativa de explicar o inexplicável diante do desgaste causado, sobretudo, ao mandato da senhora vereadora Meire Ramos (PSDB), esposa do dito médico e maior preocupada em repor a suposta verdade. Por fim, leviandade é, antes de tudo, deixar de priorizar o salvamento de vidas em detrimento de uma diversão barata.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here