No menu items!
25 C
Rio Branco
sábado, setembro 26, 2020

Marina vê PT, PMDB e PSDB como farinha do mesmo saco

Últimas

Prepare-se: preço do arroz vai continuar subindo até março de 2021, diz presidente da Associação dos Supermercados do Acre

O empresário Aden Araújo fez uma previsão sobre os sucessivos reajuste no preço do arroz no Acre, na tarde desta sexta-feira. São projeções nada...

“Vi muitos abusos sexuais em grupos da Ayahuasca”, diz antropóloga

Carlos Minuano Colaboração para o TAB A cientista Bia Labate se diz uma vítima de condições desafiantes no Brasil. A antropóloga brasileira foi morar na Califórnia...

Quem atenta contra as normas de segurança alia-se à Covid no “ataque” à saúde pública e à Nação

Com mais de 105 mil mortes no total, cerca de mil óbitos e 45 mil novos casos por dia, a Covid-19 segue ameaçando de...

Decano do STF, Celso de Mello antecipa aposentadoria para outubro

O ministro Celso de Mello, que tinha aposentadoria agendada para novembro, comunicou à presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) que antecipará a data para...

PF incinera quase meia tonelada de drogas em Cruzeiro do Sul

A Polícia Federal em Cruzeiro do Sul/AC incinerou, ao final da tarde de quinta-feira (23/09/20), quase meia tonelada de drogas. O montante destruído é...

A ex-senadora Marina Silva (Rede-AC) publicou  no Twitter duras críticas à decisão tomada pelo PSDB de permanecer na base do governo de Michel Temer, o qual Marina chamou de “desacreditado”. Ela considerou a decisão uma “trágica repetição às avessas” da postura adotada pelo PMDB quando o impeachment de Dilma Rousseff começava a ganhar corpo, no ano passado.

“O PMDB, em aliança com o PT, levou o País a uma de suas piores crises. Há ano e diante da expectativa de assumir o poder, em 3 minutos o PMDB ‘rompeu’ a aliança que mantinha há 13 anos com o PT. Ontem, em uma trágica repetição às avessas e na ânsia de se manter no poder, foi a vez do PSDB”, comentou a ex-senadora.

Em referência à justificativa apresentada pela cúpula do PSDB, de que continuará no governo até que surjam novos fatos, Marina avaliou que a posição foi tomada “enquanto o País está há muito tempo atônito”.
“Não bastou a revelação dos graves crimes, inegavelmente cometidos, tendo sido argumentada pelo seu próprio advogado no TSE”, lembrou Marina em uma das postagens.

“O presidente do PSDB disse que permanecer no governo é mera circunstância, sem renúncia das convicções de que houve corrupção”, emendou, antes de apontar supostas contradições na decisão do partido. “Parafraseando o presidente do PSDB (Tasso Jereissati), uma vergonhosa incoerência que se colocará diante da História. Ao PSDB nenhuma autocrítica, apenas a cumplicidade com a fraude e a impunidade, guiadas pelo relativismo ético e vitimização histórica”, concluiu.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui