No menu items!
24 C
Rio Branco
sábado, outubro 24, 2020

Eletronorte no Acre perde autonomia e pane no sistema dependerá de Rondônia

Últimas

Gladson busca apoio do Exército para ofertar água potável em comunidades indígenas e ribeirinhas

Da Secom Os esforços do governador Gladson Cameli para melhorar a qualidade de vida da população acreana não param. Cumprindo agenda em Manaus (AM), nesta...

Polícia investiga prefeito do Acre e suas amantes, que são fantasmas e ostentam na Internet

Enquanto a maioria dos servidores da prefeitura de Xapuri trabalha jornadas de oito horas diárias para ganhar um salário mínimo, duas eventuais funcionárias comissionadas...

Número de alunos entrando no ensino superior público caiu em 2019

O número de alunos entrando em universidades públicas em 2019 foi de 559 mil, uma queda de 3,7% em comparação à quantidade de estudantes...

STF: plenário vai julgar obrigatoriedade da vacina contra Covid-19

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou urgência na tramitação de ações ligadas à vacinação contra a Covid-19. Com isso, o magistrado...

Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da Coronavac

Após ser acusada pelo Instituto Butantan de retardar a fabricação da vacina da farmacêutica Sinovac, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, nesta sexta-feira...

Panes na geração e transmissão de energia serão reparadas pelo centro de Rondônia. Acre só observa

O Centro de Operação Regional, o coração da Eletronorte no Acre, o setor que concentra todas as informações sobre panes no sistema de geração de energia e aprova todo tipo de obra no sistema elétrico local, está desativado. A decisão foi tomada pela Eletronorte Brasília, que tem gestão sobre as 12 geradoras do país. Com isso, toda resposta sobre reparos na Linha de Transmissão da energia que é gerada em Porto Velho para abastecer o Acre deve ser dada por uma sala técnica montada em Rondônia. O Acre não gera a sua própria energia desde 2012. Em Rio Branco, as turbinas estão desativada e não há sequer geradores de emergência por aqui.

Eterna dependência

Engenheiros e técnicos consultados pela reportagem confirmam que, a partir de agora, todo o controle de geração e transmissão de energia está ameaçado. Ou seja, qualquer interrupção no fornecimento de energia causada por fenômenos naturais ou vandalismo no chamado “Linhão” só será resolvido após o deslocamento de equipes móveis, pela BR-364, desde a capital do estado vizinho. “Não é possível estimar o tempo em que esses problemas serão resolvidos. Quando esta responsabilidade estava e nossas mãos, aqui no Acre, havia um tempo de resposta mais rápido”, disse um engenheiro. A Eletronorte em Brasília alegou a necessidade de conter gastos. Na prática, segundo criticam os engenheiros, “o barato, certamente, sairá caro”.
A reportagem buscou explicações junto á Eletronorte, mas até mesmo o setor de Comunicação Social da estatal está centralizado na capital rondoniense. O contato não foi possível.

Produção

A Eletrobras Eletronorte produz 75,88% da energia elétrica gerada no Acre, distribuída por 302 quilômetros de linhas de transmissão em 230 kV. O sistema conta ainda com cinco subestações e 406 MVA de capacidade transformação. Desde 2002, o estado, que faz parte do sistema isolado Acre/Rondônia, também é abastecido por uma linha de transmissão em 230 kV que liga Rio Branco à cidade de Abunã, em Rondônia. Além da capital, a energia transmitida pela Eletrobras Eletronorte supre os mercados interligados de Senador Guiomard, Plácido de Castro, Bujari, Porto Acre, Acrelândia, Redenção e Vila Campinas.

O deputado Eber Machado, vice-presidente da Aleac, cobrou intervenção da Bancada federal e uma posição do parlamento acreano. Nenhuma iniciativa prática ocorreu até o momento. “Temos 87% de preservação e não temos nenhuma compensação. Isso é engessar. Qual é a indústria que quer vir se instalar no Acre?”, questionou Eber Machado.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui