No menu items!
25 C
Rio Branco
segunda-feira, setembro 28, 2020

No Acre, mais de 1.500 empresas fecharam as portas em menos de um ano

Últimas

Sertão acreano: seca castiga famílias da Floresta Estadual do Antimary, que caminham horas em busca de água

Centenas de famílias de extrativistas e pequenos produtores rurais que habitam a Floresta Estadual do Antimary estão vivendo sem água potável. Se obrigam a...

CPMF: o imposto defendido por FHC, Lula e Dilma, que pode ser ressuscitada por Bolsonaro

A Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) é um dos impostos mais polêmicos desde a redemocratização. Criada em 8 de julho de 1993, no...

C. do Sul 116 anos: Gladson entrega Avenida Cultural com novo Teatro dos Náuas, ginásios poliesportivos e 20 ônibus escolares

Stalin Melo Educação, cultura e esporte, tudo no mesmo lugar. Foi exatamente isso o que o governador Gladson Cameli entregou na manhã desta segunda-feira, 28,...

E agora, Bittar? Uso do Fundeb para Renda Cidadã é mascarar teto de gastos públicos, diz ministro do TCU

O ministro do TCU Bruno Dantas criticou nesta segunda-feira a proposta apresentada pelo governo para financiar o Renda Brasil. Para ele, usar recursos do...

Showmícios em tempos de Covid e o recado a quem propaga Fake News

A Justiça Eleitoral não pretende expedir regras para o protocolo sanitário de comícios, afirmou a assessora especial do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Roberta Gresta,...

Cerca de 1.536 empresas foram extintas no estado durante 2016. O levantamento foi encaminhado ao Departamento de Registro Empresarial e Integração (Drei), que faz o ranking anual e mensal das juntas comerciais de todo o Brasil. O dado aponta também que, no mesmo período, outras 752 empresas foram constituídas. As informações são do G1. O presidente da Junta Comercial, Carlos Afonso, argumentou que boa parte dessas empresas já não operavam há mais de dez anos, ou seja, foram extintas em 2016, mas já haviam fechado as portas antes disso, diz a publicação.
“Essas empresas que estão há anos sem operar, recebem uma notificação e um prazo para aparecerem. Se não apresentarem nada, elas são extintas”, explica.
Afonso diz que a instituição está fazendo uma reestruturação e digitalizando o acervo de cadastros, por isso, esse número acabou sendo tão alto. Ele não soube informar o seguimento onde ocorreu o maior fechamento, mas diz que a maioria decidiu encerrar as atividades devido a dívidas.
“Há pessoas que deixam de operar por uma questão de empréstimos ou Imposto de Renda, além de outras situações. A pessoa acaba sendo prejudicada em alguma operação que busca fazer e decide fechar. Infelizmente, isso está ocorrendo muito”, lamenta.
O ranking mostra ainda informações do setor empresarial nos três primeiros meses de 2017. Em janeiro deste ano, segundo o departamento, 63 empresas foram abertas e 275 extintas.
Em fevereiro, 76 novos empreendimentos abriram as portas, enquanto 162 fecharam. No mês de março não foi diferente, conforme o Drei. Enquanto 192 foram extintas, surgiram outras 91.

Fonte; G1




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui