No menu items!
23 C
Rio Branco
domingo, setembro 27, 2020

Sindmed pedirá auditoria sobre vazamento de radiação no hospital de Sena Madureira

Últimas

Prepare-se: preço do arroz vai continuar subindo até março de 2021, diz presidente da Associação dos Supermercados do Acre

O empresário Aden Araújo fez uma previsão sobre os sucessivos reajuste no preço do arroz no Acre, na tarde desta sexta-feira. São projeções nada...

“Vi muitos abusos sexuais em grupos da Ayahuasca”, diz antropóloga

Carlos Minuano Colaboração para o TAB A cientista Bia Labate se diz uma vítima de condições desafiantes no Brasil. A antropóloga brasileira foi morar na Califórnia...

Quem atenta contra as normas de segurança alia-se à Covid no “ataque” à saúde pública e à Nação

Com mais de 105 mil mortes no total, cerca de mil óbitos e 45 mil novos casos por dia, a Covid-19 segue ameaçando de...

Decano do STF, Celso de Mello antecipa aposentadoria para outubro

O ministro Celso de Mello, que tinha aposentadoria agendada para novembro, comunicou à presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) que antecipará a data para...

PF incinera quase meia tonelada de drogas em Cruzeiro do Sul

A Polícia Federal em Cruzeiro do Sul/AC incinerou, ao final da tarde de quinta-feira (23/09/20), quase meia tonelada de drogas. O montante destruído é...

Depois de quase um ano do pedido feito ao governo do Estado para que realizasse o exame radiométrico da sala em que está o aparelho de raio-x do Hospital João Câncio Fernandes, de Sena Madureira, continua a suspeita de vazamento de radiação para o cômodo ao lado, a sala de emergência, em que são atendidos os pacientes em estado grave.
Sem as respostas necessárias e devido a urgência do caso, o Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) encaminhará denúncias aos órgãos competentes, pedindo que os administradores da saúde sejam responsabilizados por prevaricação em caso de confirmação da irregularidade.

A falta de resposta para a reclamação foi verificada em uma visita realizada por diretores ao hospital, na quinta-feira (29/06). A reclamação dos trabalhadores é que a barita, argamassa utilizada para isolar a sala de raio-x, estaria comprometida, não apresentando quantidade suficiente para impedir a contaminação de pacientes e de servidores. Para o presidente o Sindmed, Ribamar Costa, a situação é gravíssima de demonstra a falta de interesse dos governantes em oferecer saúde de qualidade.

“Esperamos que o caso seja tratado com seriedade para que a população e os profissionais não sofram com doenças graves resultantes dessa contaminação. Temos diversos casos na história em que a população sofreu muito”, afirmou o sindicalista. A denúncia será encaminhada para o Conselho Regional de Medicina (CRM), para o Ministério Público do Estado (MPE) e para o Ministério da Saúde para que haja uma auditoria na unidade de saúde.

A barita é usada para vedar a sala de raio-x e deve existir um reforço extra no local em que o tubo do aparelho dispara a radiação, quando o paciente fica em pé para fazer um raio-x do tórax.
Na hora do disparo, a radiação primária deve atingir o corpo do paciente a ser examinado e toda a sala acaba recebendo a radiação secundária, por isso o radiologista precisa utilizar o avental de chumbo.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui