No menu items!
23 C
Rio Branco
sábado, setembro 26, 2020

Jornalista queria ser governadora ser ter qualquer filiação partidária

Últimas

Prepare-se: preço do arroz vai continuar subindo até março de 2021, diz presidente da Associação dos Supermercados do Acre

O empresário Aden Araújo fez uma previsão sobre os sucessivos reajuste no preço do arroz no Acre, na tarde desta sexta-feira. São projeções nada...

“Vi muitos abusos sexuais em grupos da Ayahuasca”, diz antropóloga

Carlos Minuano Colaboração para o TAB A cientista Bia Labate se diz uma vítima de condições desafiantes no Brasil. A antropóloga brasileira foi morar na Califórnia...

Quem atenta contra as normas de segurança alia-se à Covid no “ataque” à saúde pública e à Nação

Com mais de 105 mil mortes no total, cerca de mil óbitos e 45 mil novos casos por dia, a Covid-19 segue ameaçando de...

Decano do STF, Celso de Mello antecipa aposentadoria para outubro

O ministro Celso de Mello, que tinha aposentadoria agendada para novembro, comunicou à presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) que antecipará a data para...

PF incinera quase meia tonelada de drogas em Cruzeiro do Sul

A Polícia Federal em Cruzeiro do Sul/AC incinerou, ao final da tarde de quinta-feira (23/09/20), quase meia tonelada de drogas. O montante destruído é...

O pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) indeferiu a candidatura da jornalista Liliane Araújo (PPS) ao governo do Amazonas na eleição suplementar de agosto. A decisão foi unânime. O Ministério Público Eleitoral (MPE) já havia se manifestado favoravelmente à decisão com o argumento que ela não possui qualquer filiação partidária no registro eleitoral. As informações são da Agência Brasil.

“Foi deferida a chapa da Liliane. Ela e o vice, o Cabo Lobo. Ela não tem filiação partidária. Está concorrendo por um partido, o PPS, porém é filiada a outro partido. Isso é um dos requisitos para o registro de candidatura. Como ela não preencheu esse requisito, o registro dela foi indeferido”, explicou o secretário judiciário do TRE, Waldinei Siqueira.

O Amazonas tem uma nova eleição marcada para 6 de agosto, uma vez que o TSE cassou o mandato do então governador, José Melo (Pros), e do vice, Henrique Oliveira (SD), por compra de votos nas eleições de 2014. O tribunal determinou a realização de novas eleições diretas no Estado, que tiveram a datas mantidas para primeiro e segundo turnos nos dias 6 e 27, respectivamente. O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, David Almeida (PSD), assumiu o governo interinamente até a posse do eleito




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui