No menu items!
31 C
Rio Branco
sexta-feira, setembro 25, 2020

Cercados, suspeitos peitaram a polícia com metralhadora , diz testemunha. Comerciante passa 30 minutos escondido

Últimas

Prepare-se: preço do arroz vai continuar subindo até março de 2021, diz presidente da Associação dos Supermercados do Acre

O empresário Aden Araújo fez uma previsão sobre os sucessivos reajuste no preço do arroz no Acre, na tarde desta sexta-feira. São projeções nada...

“Vi muitos abusos sexuais em grupos da Ayahuasca”, diz antropóloga

Carlos Minuano Colaboração para o TAB A cientista Bia Labate se diz uma vítima de condições desafiantes no Brasil. A antropóloga brasileira foi morar na Califórnia...

Quem atenta contra as normas de segurança alia-se à Covid no “ataque” à saúde pública e à Nação

Com mais de 105 mil mortes no total, cerca de mil óbitos e 45 mil novos casos por dia, a Covid-19 segue ameaçando de...

Decano do STF, Celso de Mello antecipa aposentadoria para outubro

O ministro Celso de Mello, que tinha aposentadoria agendada para novembro, comunicou à presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) que antecipará a data para...

PF incinera quase meia tonelada de drogas em Cruzeiro do Sul

A Polícia Federal em Cruzeiro do Sul/AC incinerou, ao final da tarde de quinta-feira (23/09/20), quase meia tonelada de drogas. O montante destruído é...

Arma semelhante a esta estava em poder do suspeito morto pela polícia na noite deste domingo, no Caladinho

O comerciante Ângelo Augusto Nascimento passava de carro quando um pequeno grupo decidiu enfrentar a polícia. “A PM foi recebida a tiros. Eles (suspeitos) não arregaram de jeito nenhum”, conta. O homem desviou para um terreno baldio, desligou as luzes e esperou o tiroteio acabar. “Acho que fiquei ali uns 30 minutos. Tive receio de usar até o celular”.

O confronto ocorreu na noite de domingo, no Bairro Caladinho, após perseguição da viatura a um veículo de passeio. Os policiais faziam ronda no Bairro Montanhês e desconfiaram que havia algo errado com os ocupantes do veículo.

Um suspeito morreu após ser atingido pela polícia. A metralhadora de fabricação israelense (veja imagem ilustrativa) apreendida pelos policiais estava em poder do rapaz alvejado. Outros dois suspeitos conseguiram fugir. Outras duas armas de fogo foram abandonadas pelo caminho. “Era 9 horas da noite, por aí”, disse um rapaz que mora próximo ao Cemitério Nossa Senhora da Conceição, no Bairro Tancredo Neves. “De longe eu sabia que aquilo era metralhadora. Foi um pipoco doido”.

Houve pânico nas ruas. Alguns estabelecimentos fecharam as portas e os clientes buscaram locais seguros.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui