Líder religioso e formador de opinião responde por pedofilia e tem proteção de ex-políticos no Acre

Um líder religioso de Rio Branco, bastante conhecido e respeitado em suas pregações, responde por pedofilia. A vítima, do sexo masculino, era menor de 14 anos quando foi abusada, em 2014. Os detalhes do crime, de estarrecer, não serão revelado porque o processo corre em segredo de justiça. O acusado é formador de opinião, com prestação de serviços à mídia regional. Um segundo caso de violência sexual contra menores veio à tona no último sábado, quando o acusado foi intimado após longa peregrinação dos oficiais de justiça para encontrá-lo.

Na recepção de uma empresa, o oficial de justiça precisou pedir a atenção dos presentes e explicar que estava ali no estrito cumprimento de sua função, pois fazia algum tempo que aguardava a informação sobre a presença ou não do suspeito em seu local de trabalho. O oficial teve que entrar na sala onde o rapaz trabalhava para entregá-lo a intimação, que foi recebida. A reportagem de acjornal.com teve acesso às informações que constam na denúncia, feita pela mãe do garoto (no primeiro caso), e ao pedido de condenação feito pelo Ministério Público.

O acusado por pedofilia não é acreano, mas mora em Rio Branco há muitos anos. Tem a proteção de ex-políticos, que tomaram conhecimento do escândalo mas decidiram protegê-lo ao invés de puní-lo. Com certa frequência, o rapaz é levado para passar alguns dias numa capital do Norte do pais, com tudo pago pelos patrões. Nossos repórteres localizaram três ex-funcionários da referida empresa, que perderam seus empregos por perseguição.

Nota da redação

Embora amparado pela Lei de Imprensa, o acjornal.com foi orientado por advogados a não revelar o teor das denúncias. Porém, a notícia de que há, em curso, uma investigação, é de interesse público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui