No menu items!
27 C
Rio Branco
quinta-feira, outubro 1, 2020

Jornal da Band dá barrigada ao afirmar que “Menino do Acre” será chamado para depor na polícia

Últimas

Menor contratado por empresa de Internet morre eletrocutado na BR 317

Vanderson de Assis, um jovem de 16 anos, morreu eletrocutado no início da tarde desta quarta feira na Comunidade Campi Novo, km 105 da BR...

Presidente Nicolau Júnior anuncia que emendas parlamentares serão liberadas a partir dessa semana

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (PP), informou durante sessão desta quarta-feira (30) que a partir dessa semana já...

Presidente do Sindicato das Olarias, ligado à Fieac, é denunciado por esmurrar a sogra

O empresário Márcio Valter Agiolfi, presidente do Sindicato de Olarias do Acre, foi denunciado pela promotora Joana D´Arc Dias Martins, por lesão corporal. A...

Porto Acre: com início das chuva, produtor rural faz apelo ao governo do estado

O produtor rural e atualmente candidato a vereador pelo município de Porto Acre, Jornalista Salomão Matos (MDB), fez um apelo na tarde desta segunda...

Professor Coelho, coordenador da campanha de Bocalom, nega que Bestene tenha atacado Gladson: “não vi isso”

O professor Coelho, coordenador da campanha de Tião Bocalom, candidato à Prefeitura de Rio Branco, deu um testemunho ao acjornal desmentindo que o deputado...

Caso está encerrado pela polícia

O Grupo Bandeirantes errou ao noticiar que Bruno Borges será chamado para depor na delegacia. O rapaz estava desaparecido havia 5 meses. A notícia viralizou após veiculação no Jornal da TV Bandeirantes, em vídeo, e, em áudio, na Band FM. Apesar da manchete, no corpo da reportagem não há declaração de  nenhuma autoridade policial confirmando haver intenção de prosseguir na investigação. O chefe de Polícia Civil do Acre, Josemar Pontes, havia dito que o sumiço do estudante não está relacionado a crimes. A assessoria da Secretaria de Segurança manteve a informação de que Bruno Borges premeditou o seu desaparecimento, motivado por um “golpe de marketing” – razão pela qual “não caberá à polícia judiciária julgar, e sim à própria família”.  Conforme noticiado por acjornal.com, existe um desgaste muito grande causado pela excessiva repercussão em torno do estudante. Os internautas se dizem cansados de tanta cobertura jornalística a respeito deste caso. Na opinião de alguns advogados e demais cidadãos comuns, Bruno deveria ser responsabilizado pelo “ato irresponsável” que gerou comoção social e deu muito trabalho em vão aos investigadores, sobretudo num momento em que o Estado do Acre enfrenta uma de suas maiores crise na Segurança Pública.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui