No menu items!
24 C
Rio Branco
sexta-feira, novembro 27, 2020

Governo descumpre acordo, caçambeiros fecham Deracre e páram obras em todo estado

Últimas

PSDB é acusado de usurpar o CNPJ de partido aliado na coligação pró Minoru Kinpara; entenda

O PSDB do Acre é acusado de usar indevidamente o CNPJ do Cidadania, partido aliado na coligação que tentou eleger o professor Minoru Kinpara...

Júri condena a 26 anos taxista que deixou namorada inválida, mais multa de R$ 100 mil

O Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri decidiu pela condenação do taxista Luiz Felipe Santos de Azevedo. O réu foi...

Internada, deputada é o 15ª caso de reinfecção por Covid no Acre investigado em laboratórios do Sul

Internada no hospital Santa Casa de Misericórdia em Rio Branco desde a última quarta-feira com quadro preocupante de Covid, a deputado Meire Sarafim (MDB)...

Rio Branco: faltando três dias para o 2º turno, eleitor já pode consultar seu local de votação

O eleitor de Rio Branco pode consultar o local onde deverá votar no dia 29 de novembro, data do segundo turno da eleição. O...

Começa o julgamento de taxista que tentou matar a ex-namorada; vítima ficou em estado vegetativo

Teve início as 8h40h da manhã desta quinta-feira, 26, o julgamento do taxista Luiz Felipe Santos de Azevedo, acusado pela tentativa de feminicidio contra...

200 máquinas estão paradas e sede do Deracre interditada

Duzentas máquinas e cerca de quatrocentos caçambeiros fecharam a sede do Deracre ( Departamento de Estradas e Rodagens do Acre) na manhã desta quinta-feira. Todas as obras em ramais também foram paralisadas, de Assis Brasil a Mâncio Lima, informou o presidente do Sintraba, Júlio Caçambeiro. O governo terá que pagar ao menos 50% da dívida de R$ 8 milhões com os trabalhadores para que os serviços sejam normalizados. É a exigência do sindicato da categoria. “O governo quebrou um acordo que tínhamos. Fizemos o possível para não chegar a esse ponto. Infelizmente, a paciência acabou”, disse o sindicalista.

O Sintraba havia acordado com os gestores públicos o pagamento de R$ 1 milhão ao mês. Apenas uma parcela foi paga. No segundo mês, o estado depositou R$ 600 mil. O sindicato até concordou em receber R$$ 800 mil mensais, mas há três meses não é depositado um centavo sequer. “Temos dívidas, como todo cidadão. Estamos em débito com as retíficas, postos de gasolina e outros fornecedores, sem falar em compromissos inadiáveis, como a escola de nossos filhos”, disse Júlio.

O Sintraba aguarda que o governo chame uma negociação.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui