Advogada quer explicações sobre lotação de coronel que quer ser governador do Acre

A advogada Joana D´Arc Valente Santana, ativista de Direitos Humanos no Acre, pediu nesta sexta-feira explicações sobre a vida funcional do coronel Ulisses (sem partido), pré-candidato ao Governo do Estado. As explicações devem ser dada pelo comandante-geral da Polícia Militar, tenente coronel Kimpara. A advogada levanta suspeitas sobre a “assiduidade” do militar em suas funções de mantenedor da Segurança Pública, e cita as viagens feitas pelo pré-candidato ao interior do estado “em franca campanha eleitoral”.

D´Arc pede que sejam esclarecidas a situação funcional e o cargo em que Ulisses estaria lotado na corporação, bem como os fundamentos legais se um possível licenciamento do militar. E que a PMAC vem a público, ainda, para explicar a situação jurídica da Associação dos Oficiais da Polícia Militar e dos Bombeiros Militares (AOPMBC-AC), da qual Ulisses é membro.

“Causa estranheza o volume de viagens aos municípios do Acre, incompatíveis com a assiduidade de um agente público. É imperioso que coíba qualquer tentativa de burlar a lei eleitoral”, destaca a advogada no documento que chegou às mãos do comandante geral da PM. “Aquele que é agente público deve se licenciar para cumprir agenda de candidato, sob pena de causar prejuízo ao erário e ao contribuinte”, justifica o documento.

Joana lembra que é dever do comandante se valer dos princípios da transparência a fim de prestar os esclarecimentos solicitados de forma rápida, ou, na pior das hipóteses, conforme ditame legal, no prazo máximo de 20 dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui