70% dos pagamentos de campanha de Marcus Alexandre vão para Acre Publicidade, que contratou pesquisa suspeita da Vox Populi

0

A Acre Publicidades e o principal fornecedor da campanha do candidato do PT ao Governo, Marcus Alexandre. A informação consta no portal do Tribunal Superior Eleitoral sobre a transparência dos gastos para candidatos e partidos. A empresa fá recebeu da coligação Frente Popular, R$ 300.300,00 pelo fornecimento de material gráfico, de acordo com dados da primeira parcial da prestação de contas do candidato do PT. Esses valores equivalem a 70% das despesas da campanha ate o momento.

A Acre Publicidade tem parque gráfico próprio e pertence ao empresario Acrevenos Espindola, dono do Jornal Opinião. A empresa esta sendo investigada pelo Ministério Publico Eleitoral por suspeita de fraude na pesquisa que ela encomendou junto ao Instituto Vox Populi (veja AQUI a reportagem denuncia do acjornal que motivou a abertura da investigação). Trata-se da unica pesquisa em que o candidato petista aparece a frente do senador Gladson Cameli na corrida pelo Palácio Rio Branco.

O procurador Eleitoral Fernando Piazenski recebeu, ainda, oito áudios em que entrevistadores confirmam haver direcionamento de intenções de votos do interior sem que o Vox Populi tenha saído de Rio Branco. Alem disso, estranha que a Acre Publicidade tenha pago R$ 93 mil por uma pesquisa que foi publicada por sua concorrente direta, o grupo A gazeta, de propriedade do empresario Silvio Martinello. Os dois jornais são clientes VIP da Companhia de Selva, a agencia que distribui a milionária verba institucional do estado.

Outro forte indicio de irregularidade na relação da empresa com o PT: o Jornal Opinião foi beneficiado com contrato de exclusividade para fornecer edições diárias a Prefeitura de Brasileia, administrada pela petista Fernanda Hassen. A licitação foi feita em abril, mas somente foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 24 de agosto (veja AQUI), a mesma data que foi divulgada a pesquisa eleitoral do Vox Populis dando “ligeira vantagem” do candidato Marcus Alexandre sobre o senador Gladson Cameli (PP)

A empresa Acre Publicidade e investigada na Operaçao Cartas Marcadas, deflagrada em junho do ano passado pelo Ministério Publico e a Policia Civil. A empresa responde açao por fraudes em licitações publicas. Os valores envolvidos chegam a R$ 10 milhões com esquema em licitações públicas. Em seis mandados de prisão preventiva e outros nove de busca e apreensão, além de duas conduções coercitivas em Rio Branco e Xapuri, no interior do Acre, os investigadores obtiveram provas robustas do esquema.

O dono da empresa, Acrevenos Espíndola, foi um dos seis presos preventivamente. O coordenador do Gaeco, promotor de Justiça Bernardo Albano, afirmou que foi feito o sequestro de bens da empresa de publicidade na ordem de quase R$ 2,8 milhões.

“Foram identificadas oito licitações com indícios de fraude. Esse não é o valor total do ilícito praticado, apenas é o valor que conseguimos identificar nessas oito licitações. A investigação vai continuar, e como sabemos que a maioria das licitações eram na modalidade pregão, é possível que essa fraude possa chegar a valores próximos de R$ 10 milhões”, afirmou o promotor ao portal G1 tao logo a operação foi deflagrada.

Deixe uma resposta