Sawana se vitimiza na Web e não explica cancelamento de multa por embriaguês a candidata da primeira dama

2

Nem mesmo a Secretaria de Comunicação do Acre se sentiu à vontade para defender a gestora de Administração Administrativa, Sawana Carvalho, acusada de cancelar multa com infração gravíssima aplicada a uma ex-secretária que, hoje, disputa as eleições pela Frente Popular. A denúncia (veja a íntegra AQUI), publicada pelo acjornal nesta terça-feira, é ilustrada pelo auto de infração e documentos oficiais do Detran, na gestão de Sawana como diretora geral daquele órgão. A reportagem prova que a multa de R$ 1,9 mil foi cancelada administrativamente poucos dias antes do vencimento. Sentindo-se envergonhada, Sawana foi para sua rede social para dizer que “passou o dia recebendo ligações de solidariedade”. Em nenhum momento, ela questionou os documentos publicados, tampouco fez referência ao caso propriamente dito. E ameaçou processar o autor da matéria. Sílvia Monteira, ex-subsecretária de Pequenos Negócios e atual candidata a deputada federal, foi assessora do então senador Tião Viana e figura como postulante a cargo eletivo preferida da primeira dama, Marlúcia Cândida.

Nota da redação

Não interessa ao público a suposta solidariedade recebida pela secretária, afinal, como pode-se notar (é público), tal manifestação vem, em sua quase totalidade, daqueles que, ao longo dos anos, se alimentam de um puxassaquismo exacerbado. Não entraremos em detalhes sobre esta relação sórdida, promíscua e vexatória, entre gestores e comissionados que se avolumam como seguidores para, tão somente, fazer o “social” com a sua chefe, incapazes de calar ante o descalabro, mas preferindo expor sua dignidade limitada ao defender o indefensável. O que importa, senhora Sawana, é esclarecer os motivos pelos quais a senhora, figura pública, gestora do Detran,  se deu ao trabalho de cancelar multa em nome de alguém tão próximo do primeiro escalão de governo, quando há milhares de cidadãos sendo prejudicados em infrações supostamente mal produzidas. Acreditava a senhora que todo mal feito jamais será descoberto? Como se sente explorando as prerrogativas do cargo para incorrer em suposta improbidade? Há momentos em que o melhor juiz é o povo.

 

Deixe uma resposta