O ex-presidente do Instituto Sócio Educacional do Acre (ISE), Rafael Almeida), vive a expectativa de ter seus votos validados. Ele foi considerado inelegível por não ter prestado contas nas eleições de 2014, quando também disputou uma cadeira na Assembléia Legislativa. Nas eleições gerais do último domingo, o candidato foi votado, apesar de duas decisões seguidas, uma do TRE do Acre e outra do próprio TSE, não reconhecendo o registro de sua candidatura. mas ele recorreu e tudo pode acontecer. Uma decisão favorável, embora muito remota, daria o mandato a Rafael Almeida e, assim, o PDT faria duas cadeiras na Aleac – a primeira já está garantida para o presidente da legenda, Luiz Tchê. “Nós estamos lutando por isso. Nós iríamos para 30.032 votos e faríamos duas vagas. Estamos na expectativa de que esses votos sejam validados. O recurso ainda não foi julgado, mas nós temos esperança de que as coisas aconteçam neste sentido”, disse Luiz Tchê. Neste caso, quem perderia a vaga seria o pastor Wagner Felipe, do PR, por enquanto considerado deputado eleito, que obteve 3.568 votos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here