Se em 30 dias a Aneel não desonerar a conta de luz, a Energiza será proibida de entrar nos bairros de Rio Branco

3
372

Os movimentos comunitários haviam decidido que a Energiza seria barrada nos bairros da capital. Ou seja, as principais entradas e saídas das sub regiões em Rio Branco estariam monitoradas por moradores, com a missão de proibir os serviços de medição e corte da energia, independente dos motivos. Obviamente, a imprensa nacional seria atraída a dar manchetes barulhentas.

Seria uma atitude radical, mas necessária, entenderam os líderes comunitários, diante dos abusos cometidos pela empresa que chegou ao Acre com a proposta de melhorar a qualidade do serviço, razão pela qual a Eletroacre foi vendida, segundo discurso oficial do governo federal.

O deputado Genilson Leite (PCdoB), que encampa uma luta permanente contra os reajuste na conta de luz, convenceu os movimentos a dar um prazo de 30 dias para que a Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica, cumpra o que foi apalavrado com a Bancada Federal Acreana nesta semana: o possível parcelamento dos índices de reajuste na fatura ou até mesmo a desoneração por completa da conta de energia.

Deputados federais, coordenados pelo senador Sérgio Petecão, imprensaram o diretor geral da Aneel, que, em resposta, adiantou que o novo reajuste, previsto para junto, não irá mais acontecer. E mais: está criado um comitê técnico de desoneração da conta de energia  no acre, formado por funcionários da própria Aneeel, que vão examinar o impacto desse aumento na capacidade financeira da população local.

“É difícil termos paciência diante de uma situação aviltante, que se perpetua há anos. Mas há uma chance de resolvermos a questão política e tecnicamente. Hoje, os recurso usados pra cobrar energia são muito injustos. E nós pagamos pela perda da distribuição e o não uso de energia. Nós pagamos até pelo fato de não chover na região. Creio que um mês está de bom tamanho para que a Aneel apresente resultados sociais em favor dos consumidores. Do contrário, eu e, creio, muitos outros, iremos apoiar a idéia de fechar os bairros, afinal já teremos como comprovar que todos os esforços foram feitos para evitar prejuízos insanáveis à população”, declarou Genilson Leite.

O deputado está em Brasília, e deve envolver o Ministério Público, a Defensoria Pública e outras instituições numa ampla discussão, tão logo retorne a Rio Branco.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Só o boicote pra acabar com essa palhaçada, se todo mundo em Rio Branco decidir não pagar mais a conta de energia elétrica eles rapidamente irão rever esses aumentos.

  2. A sanha arrecadatória do governo e das empresas que orbitam ao seu redor é algo que ultrapassa as raias do absurdo. Taxa-se para tudo: pela falta de água,pela perda, pela falta de vento, pelo uso das linhas etc etc.

Deixe uma resposta