Suposta demissão de Venceslau vem horas após Altino Machado anunciar a própria nomeação: “eu vou falar a verdade, sem maquiagem”

0
271

O jornalista Rogério Venceslau disse que vai falar o que pensa. “Como eu sempre fui, sem maquiagem. Não me interessa esconder nada, nem mesmo atacar ninguém”, declarou. O jornalista se disse bastante surpreso com notícias ainda não confirmadas sobre sua exoneração do cargo de porta voz do governo do Acre. “Eu não pedi pra sair. Estou tão surpreso quanto você. As pessoas estão falando muito. Eu tenho a minha realidade e eu interpreto ela com base nas informações que eu tenho. Vou falar apenas a verdade, como sempre fiz a minha carreira inteira”, disse.

O jornalista disse que em nenhum momento procurou o governador para sugerir mudanças ou ajustes na Comunicação do governo. Esta afirmação derruba a versão de que o governador teria se sentido contrariado e, portanto, tomado a decisão. “Não sei. Não fui comunicado. Só sei o que estão falando”. Ao menos três propostas de emprego foram feitas ao jornalista num intervalo de 30 minutos após a notícia de sua suposta exoneração.

A suposta exoneração acontece horas após o blogueiro Altino Machado antecipar a sua nomeação como diretor da Secretaria de Comunicação Social. Questionado se isto teria pesado na decisão do governador, Venceslau disse: “não sei. Não posso dizer que sim nem que não”. Uma informação não oficial indica que o cargo de porta voz será extinto.

Altino Machado recebeu com naturalidade algumas críticas feitas nas redes sociais ao anúncio de sua nomeação. Disse que havia pedido autorização da secretária Silvânia Pinheiro e do próprio Gladson Cameli para anunciar em primeira mão, não preferindo esperar que alguns jornalista “desse o furo” em comentários desnecessários. Em post, na sua página do Facebook, agradeceu felicitações que disse ter recebido de diversos segmentos e rechaçou a ironia de quem associou a sua nova missão como “servidor público temporário” a um possível acordo não republicano.

“Seguirei sendo o mesmo, sem abdicar de meus ideais e compromissos. Meu propósito como servidor público temporário é seguir com a mesma dignidade profissional, compartilhando com uma equipe o pouco ou muito que amealhei como autodidata após tantos anos de lida. Abraço a todos”, disse.

Dá-se ao nome de porta voz a função de diretor da Secom.

O acjornal pediu uma declaração do governador, que não respondeu.

Deixe uma resposta