No menu items!
30 C
Rio Branco
quarta-feira, abril 14, 2021

Fogo amigo já é incêndio incontrolável no Governo do Acre; Gladson sofre extorsão e chantagens de todo lado

spot_img

Últimas

Puxem na memória: dos todos os governos acreanos, dificilmente iremos encontrar um outro que tenha sofrido tantas chantagens, armações e confusões – provocados por quem se diz aliado. E são apenas 6 meses…

Gladson Cameli parece ser apenas um personagem, gira a engrenagem dos egos, interesses. Aceita passivamente ser colocado num paredão a levar chicotadas. O que justifica um estadista aceitar tudo isso como normal, natural?  Nunca se viu um governo rodeado de conflitos gerados na maioria das vezes por interesses de projetos unilaterais, dos que querem a todo custo usar a ferramenta ESTADO para construir seus próprios territórios de poder.

O governo tem uma influência externa poderosa, capaz de desfazer qualquer que seja a decisão tomada. Some-se a falta de compromisso de sua bancada de deputados aliados (a maioria oportunistas, senão quase todos), estes muito bem contemplados. Se qualquer cidadão fizer uma pesquisa no diário oficial, vai comprovar o escárnio que se tronou ser base de apoio. As indicações trazem cônjuge, irmãos, filhos, noras, genros, sobrinhos – uma regra familiar de concentração de renda às custas do dinheiro público.

Tem de tudo, menos critério técnico para a contemplação dos espaços de confiança na gestão. Estes mesmos deputados esqueceram dos apoiadores e lideranças que caminharam junto de si, que o ajudaram a chegar no poder e agora amargam a ingratidão de quem tem a ganância como marca registrada. Aqueles que podem dar segurança política ao governador são os que mais lhe causam transtornos.

Nunca se teve um vice tão distante do governador, como tem sido Major Rocha (PSDB). Tem sido o companheiro de chapa que mais deixa a desejar. Rocha abocanhou uma fatia gigantesca na partilha dos cargos. Tudo que ele solicitou Gladson atendeu (IAPEN – Instituto de Administração Penitenciário, ISE – Instituto Sócio Educativo, Secretária de Justiça e Segurança Pública, Comandos das Polícias Militar, Corpo de Bombeiro e Civil, FEM – Fundação de Cultura e Desporto Elias Mansuor, além da SEPA -Secretaria de Produção e Agricultura e agronegócio).

Que governador contemplaria o partido de um vice com essa quantidade de pastas? Somente o ingênuo Gladson Cameli, que ainda não leu a história do sapo e do escorpião. Para piorar a difícil conjuntura, o impasse da secretaria de comunicação referente à verba de mídia tem colocado setores da imprensa como aliados dos que tramam contra o Palácio Rio Branco.

Usar veículos de comunicação para Chantagens tem sido a estratégia de alguns aliados (inimigos ocultos) de Gladson Cameli. A matéria veiculada no site AC24Horas, em noticia um rompimento de Mara Rocha com o governo Gladson, trás várias interpretações. A matéria diz que a não demissão do secretário de Produção Paulo Wadt teria irritado a parlamentar Tucana, sendo que Wadt está rompido politicamente com o PSDB e que por ser Mara a madrinha da pasta, requer outro nome para o posto.

Gladson simpatiza da atuação de Paulo Wadt e teria assegurando a permanência do mesmo na função, motivo que fez Mara Rocha anunciar o desembarque. Rocha é o orientador político da Irmã. É muita má fé querer tratar Mara Rocha fora da órbita do PSDB. Rocha mostra deslealdade com Gladson Cameli, que até aqui cumpriu todas as exigências da Tucanada, muito além do que um vice ganharia em outros governos.

O capricho em mostrar que tem força, usando uma mídia acobertada de chantagens e tramas, é algo a ser enxergada pelo próprio governador e os que querem o seu bem de verdade. Isso se quiserem ver o governador concluir os quatro anos de mandato, conferido nas urnas pela população do Acre.

Lembrando que este mesmo site de notícias tem sido agraciado com repasses robustos da verba pública destinada para a comunicação e, em retribuição, usa da sua influencia de visibilidade para jogar o governador nas cordas.

A prova de que Rocha tem o domínio do mandato de Mara, foi a matéria vinculada pelo mesmo site de notícias dias atrás, onde o vice afirma que Mara Rocha vem para o senado em 2022. A notícia não agradou os aliados PROGRESSITAS, que vêem a possibilidade de fortalecer atuação de Mailza Gomes para uma possível disputa pela permanência na cadeira de senadora.

Falta pulso a Gladson Cameli, que embora aparente não é um completo ingênuo. Ninguém ganha dois mandatos de deputado federal, um de senador e derrota vinte anos de Petismo no Acre de qualquer jeito. Os que acreditam num projeto para o povo temem um racha quase anunciado, que pode acontecer em 2020, quando um ringue pela sucessão da prefeitura de Rio Branco será montado.

Mostre quem manda, governador!
Ou entre para a história como covarde




- Advertisement -spot_img

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui