No menu items!
22.1 C
Rio Branco
sexta-feira, outubro 23, 2020

Governo oficializa exonerações na Sesacre e Alisson Bestene assume interinamente

Últimas

DCE da Ufac e UMES/AC promovem debate com os candidatos a prefeito de Rio Branco

DCE da Ufac e UMES/AC promovem debate com os candidatos a prefeito de Rio Branco Estabelecer um diálogo político com a academia. Esse é o...

Dez servidores da Aleac são afastados da vida pública em operação da PF por “rachadinha”, contratação de fantasmas e fraude em contratos de publicidade

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (22), a “Operação Res Principis” na capital acreana, Rio Branco, e em Chopinzinho, no interior do Paraná, visando...

PF faz buscas na Assembleia Legislativa do Acre e apreende documentos em empresa terceirizada

A Polícia Federal amanheceu cumprindo ordens judiciais para busca e apreensão em Rio Branco. A empresa Maia e Pimentel é uma das investigadas. A...

 Prefeito petista de Xapuri manda única retroescavadeira para fazenda de amigo e município leva prejuízo de R$ 500 mil

 Uma retroescavadeira avaliada em quase meio milhão de reais, pertencente à Prefeitura de Xapuri, teria ficado inoperante ao cair de uma ponte, dentro de...

Advogado Lázaro Barbosa promete, se eleito, desmontar em 3 meses o esquema das empresas de ônibus em Rio Branco

O candidato a Vereador Lázaro Barbosa, jornalista e advogado, apresentou nas suas redes sociais uma proposta que está repercutindo bastante, destinada a baixar o...

O Governo do Acre oficializou as exonerações da secretária de Saúde, Mônica Federes, e dos diretores Júlio César da Silva (Administração e Finanças) e Jorge de Rezende (Adjunto Executivo).

A troca no comando superior da Sesacre havia sido anunciada há uma semana. Os ex-diretores, oficiais do Exército Brasileiro, estão longe do Acre desde a última sexta-feira. Mônica se despediu num grupo de Whatsapp e também se juntou à família, que mora em Brasília.

O ex-secretário Alisson Bestene assumiu a pasta interinamente. O governador Gladson Cameli pode efetivá-lo no cargo.

Havia a expectativa de uma exoneração em massa nos cargos mais importantes da saúde no Acre – UPA´s, Huerb, maternidades e hospitais regionais.

Mônica chegou a ser acusada de receber salários em duplicidade (pela unidade hospitalar que a cedeu ao governo acreano, em Brasília, e pela própria Sesacre). Teve gestão discreta, sem avanços para a melhoria no atendimento aos usuários do SUS, como exige o governador. Não teve coragem para coibir desmandos nas regionais e dentro do Huerb e nas UPA´s. Não moralizou sequer as escalas de plantões. Deu declarações polêmicas ( disse que 80% dos funcionários faz corpo mole) que lhe afastaram da relação minimamente cordial com sindicalistas. Saiu odiada por um número expressivo de servidores.




- Advertisement -

Mais notícias