No menu items!
32 C
Rio Branco
segunda-feira, outubro 19, 2020

Gladson pede respeito à memória de orleir: “não foi dele que eu recebi o estado nesta situação”

Últimas

Gladson Cameli amplia relação com povos indígenas em visita à Aldeia Sagrada Yawanawá

Com o propósito de ampliar o diálogo com as comunidades indígenas e oferecer benefícios da sua gestão, o governador Gladson Cameli visitou, no último...

Lázaro Barbosa, advogado e jornalista, a opção para representar os seus direitos

Lázaro Barbosa tem 47 anos, dos quais 15 dedicados ao jornalismo e 10 dedicados à Advocacia. Na função de jornalista (ocupou função de destaque...

Se depender do apoio de Bolsonaro e Malafaia, Roberto Duarte e Antônia Lúcia já podem calafetar a balsa

É costume candidatos soltarem gravações com celebridades públicas para atrair votos. No caso do candidato a prefeito de Rio Branco pelo MDB, Roberto Duarte,...

Blog do Assem: Correinha na mira da caneta azul

O Correinha continua aprontando e acredita que a caneta azul secou. Talvez a reaproximação do governador e seu vice lhe deixa mais à vontade para...

Em Cruzeiro do Sul, Justiça Eleitoral nega candidatura do humorista “Neto Cabeção”

Francisco das Chagas Rosas Neto (Neto Cabeção), é uma figura bem-humorada e conhecida dos cruzeirenses. Filiado ao PDT, Neto Cabeção tentava uma vaga de...

O governador Gladson Cameli se mostrou incomodado com críticas ao seu tio, o ex-governador Orleir Cameli, já falecido. Comentários inoportunos e maldosos fazem ataques ao ex-gestor no calor das discussões sobre a Reforma da Previdência. O desabafo (leia abaixo) de Gladson foi feito na manhã desta segunda-feira no Programa Fale com o Governador, do Sistema Público de Comunicação.

“Respeitem a memória do meu tio. Não foi dele que eu recebi o estado nessa situação de penúria. Eu aceito debater com quem quiser, a hora que quiserem, sobre esse e outros assuntos, mas não é verdade que meu tio deixou três meses de salario atrasados. A história é outra, bem diferente. O Orleir está sete palmos abaixo do chão e não está mais entre nós para se defender. Venham pra cima de mim. Mas respeite a memória dele”.




- Advertisement -

Mais notícias