No menu items!
30.7 C
Rio Branco
segunda-feira, outubro 19, 2020

PP: mega ato de filiação teve grito de “Tiago prefeito” e estréia de “marqueteiro” da Seinfra

Últimas

Lázaro Barbosa, advogado e jornalista, a opção para representar os seus direitos

Lázaro Barbosa tem 47 anos, dos quais 15 dedicados ao jornalismo e 10 dedicados à Advocacia. Na função de jornalista (ocupou função de destaque...

Se depender do apoio de Bolsonaro e Malafaia, Roberto Duarte e Antônia Lúcia já podem calafetar a balsa

É costume candidatos soltarem gravações com celebridades públicas para atrair votos. No caso do candidato a prefeito de Rio Branco pelo MDB, Roberto Duarte,...

Blog do Assem: Correinha na mira da caneta azul

O Correinha continua aprontando e acredita que a caneta azul secou. Talvez a reaproximação do governador e seu vice lhe deixa mais à vontade para...

Em Cruzeiro do Sul, Justiça Eleitoral nega candidatura do humorista “Neto Cabeção”

Francisco das Chagas Rosas Neto (Neto Cabeção), é uma figura bem-humorada e conhecida dos cruzeirenses. Filiado ao PDT, Neto Cabeção tentava uma vaga de...

Sargento Adonis visita povo Katukina e firma compromissos

O candidato pela coligação “A Verdadeira Mudança” (PSL/DEM), Sargento Adonis, visitou no final de semana a Terra Indígena (TI) Campinas, que fica às margens...

Correria. Seria o governador chegando? Não, era o secretário de Infraestrutura pisando no hotel lotado de progressistas, no histórico ato de filiação ocorrido na noite desta segunda. De repente, ouvem-se gritos:

“Tiago prefeito, Tiago prefeito”

Parecia que a convenção do PP havia sido antecipada.

Comissionados, amigos e amigos dos amigos engrossaram o canto, sob a regência de uma comissão de frente que fez até capacitação em curso exclusivo para “profissionais do Marketing”, em São Paulo (veja as diárias pagas, logo acima).

Não se espante se a partir de agora houver uma disputa entre grupos que defendem Álisson Bestene, Tiago Caetano, Luziel Carvalho e outros como pré-candidatos a prefeito de Rio Branco.

A rede social será o termômetro dessa briga interna, que, espera-se, seja saudável.

Lembrem-se que esqueceram de combinar com o governador, para quem nenhum secretário seu vai disputar eleições, a menos que peçam o chapéu desde já.

A turma se animou após o PP fincar o pé e admitir que não será coadjuvante de ninguém.

Terá candidatura própria, a qualquer custo.




- Advertisement -

Mais notícias