No menu items!
26 C
Rio Branco
sábado, outubro 24, 2020

Pistoleiro é condenado por morte de Ithamar Pascoal

Últimas

Gladson busca apoio do Exército para ofertar água potável em comunidades indígenas e ribeirinhas

Da Secom Os esforços do governador Gladson Cameli para melhorar a qualidade de vida da população acreana não param. Cumprindo agenda em Manaus (AM), nesta...

Polícia investiga prefeito do Acre e suas amantes, que são fantasmas e ostentam na Internet

Enquanto a maioria dos servidores da prefeitura de Xapuri trabalha jornadas de oito horas diárias para ganhar um salário mínimo, duas eventuais funcionárias comissionadas...

Número de alunos entrando no ensino superior público caiu em 2019

O número de alunos entrando em universidades públicas em 2019 foi de 559 mil, uma queda de 3,7% em comparação à quantidade de estudantes...

STF: plenário vai julgar obrigatoriedade da vacina contra Covid-19

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou urgência na tramitação de ações ligadas à vacinação contra a Covid-19. Com isso, o magistrado...

Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da Coronavac

Após ser acusada pelo Instituto Butantan de retardar a fabricação da vacina da farmacêutica Sinovac, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, nesta sexta-feira...

O pistoleiro Raimundo Alves da Silva foi condenado a 9 anos de prisão em regime fechado. “Dim”, como é mais conhecido, acompanhou o então coronel da Polícia Militar do Acre, Hildebrando Pascoal, na perseguição ao motorista José Hugo Alves Júnior, numa cidadezinha do Piauí.

O Tribunal de Justiça do Estado do Acre (TJAC) montou sistema informatizado para que Hildebrando Pascoal fosse interrogado por videoconferência,no Fórum Criminal, na Cidade da Justiça, durante o júri popular que aconteceu no Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJPI).

Hujo matou o irmão do coronel, o subtenente Ithamar Pascoal, em junho de 1996, com disparo de arma de fogo, num posto de gasolina situado à Rua Izaura Parente, em Rio Branco.

Em 1997, após ser capturado por policiais militares do Piauí, Hugo foi entregue a Hildebrando e Raimundimho. Em depoimento a Justiça Federal em novembro de 1999, o pistoleiro disse que Hugo chegou a ser queimado com ácido antes de ser assassinado.

A defesa de Hildebrando pediu um tempo para estudar o processo e a decisão sobre o envolvimento do ex-deputado foi adiado.

 




- Advertisement -

Mais notícias