No menu items!
22.1 C
Rio Branco
sexta-feira, outubro 23, 2020

Governo emite alerta sobre Fungo misterioso que está destruindo plantio de mandioca e ameaça produção de farinha no Juruá

Últimas

DCE da Ufac e UMES/AC promovem debate com os candidatos a prefeito de Rio Branco

DCE da Ufac e UMES/AC promovem debate com os candidatos a prefeito de Rio Branco Estabelecer um diálogo político com a academia. Esse é o...

Dez servidores da Aleac são afastados da vida pública em operação da PF por “rachadinha”, contratação de fantasmas e fraude em contratos de publicidade

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (22), a “Operação Res Principis” na capital acreana, Rio Branco, e em Chopinzinho, no interior do Paraná, visando...

PF faz buscas na Assembleia Legislativa do Acre e apreende documentos em empresa terceirizada

A Polícia Federal amanheceu cumprindo ordens judiciais para busca e apreensão em Rio Branco. A empresa Maia e Pimentel é uma das investigadas. A...

 Prefeito petista de Xapuri manda única retroescavadeira para fazenda de amigo e município leva prejuízo de R$ 500 mil

 Uma retroescavadeira avaliada em quase meio milhão de reais, pertencente à Prefeitura de Xapuri, teria ficado inoperante ao cair de uma ponte, dentro de...

Advogado Lázaro Barbosa promete, se eleito, desmontar em 3 meses o esquema das empresas de ônibus em Rio Branco

O candidato a Vereador Lázaro Barbosa, jornalista e advogado, apresentou nas suas redes sociais uma proposta que está repercutindo bastante, destinada a baixar o...

O vale do Juruá corre o risco de perder, em pouco tempo, sua principal fonte de renda devido ao surgimento de um fungo desconhecido da ciência que está atacando o cultivo de mandioca e a produção de farinha.

A praga foi identificada há poucos dias, depois de ter destruído a lavoura em várias propriedades na bacia do Rio Juruá, onde é produzida a famosa farinha de Cruzeiro do Sul.

O fungo surge no pé de mandioca do dia para a noite, construindo uma espécie de mini teia de aranha no talo da folha. Em poucas horas, protegido por aquela fina camada semelhante a um pedacinho de algodão, suga toda fotossíntese da planta, deixando a lavoura com as folhas ressecadas e aparência de que o plantio inteiro teria sido ‘sapecado’ por um jato de lança chamas.

Pesquisadores do Instituto de Defesa Agroflorestal do Acre afirmam que essa é a primeira vez que estão vendo esse tipo de doença na lavoura de mandioca.

” No mundo todo, essa é a primeira vez que se ver esse tipo de praga. A única coisa que se sabe sobre esse fundo é que ele é típico do solo amazônico, declarou o médico veterinário Igor Figueiredo.

O IDAF lançou um alerta da doença hoje, (14) na Imprensa local pedindo aos produtores que ao constatarem a presença da doença em suas plantações comuniquem o fato, de imediato, ao escritório do órgão em Cruzeiro do Sul.

Por enquanto a orientação dos técnicos é a utilização de uma mistura de três tipos de pesticidas para tentar frear o avanço da doença sobre os plantios do Vale do Juruá.

Pesquisas mas aprofundadas já foram encomendadas. O vale do Juruá produz cerca de 40 toneladas de farinha de mandioca por mês, com entrega já agendada nos grandes supermercados do Brasil.

A produção de farinha é, hoje, uma das principais fontes de renda da região, responsável pela elevação do PIB (produto interno bruto) na cidade de Cruzeiro do Sul, principal polo agrícola naquela região do Estado do Acre.




- Advertisement -

Mais notícias