No menu items!
32 C
Rio Branco
segunda-feira, outubro 19, 2020

Petecão amarela em voo cheio de emoções sobre a selva amazônica e Moro pergunta: “confia no seu suplente”?

Últimas

Gladson Cameli amplia relação com povos indígenas em visita à Aldeia Sagrada Yawanawá

Com o propósito de ampliar o diálogo com as comunidades indígenas e oferecer benefícios da sua gestão, o governador Gladson Cameli visitou, no último...

Lázaro Barbosa, advogado e jornalista, a opção para representar os seus direitos

Lázaro Barbosa tem 47 anos, dos quais 15 dedicados ao jornalismo e 10 dedicados à Advocacia. Na função de jornalista (ocupou função de destaque...

Se depender do apoio de Bolsonaro e Malafaia, Roberto Duarte e Antônia Lúcia já podem calafetar a balsa

É costume candidatos soltarem gravações com celebridades públicas para atrair votos. No caso do candidato a prefeito de Rio Branco pelo MDB, Roberto Duarte,...

Blog do Assem: Correinha na mira da caneta azul

O Correinha continua aprontando e acredita que a caneta azul secou. Talvez a reaproximação do governador e seu vice lhe deixa mais à vontade para...

Em Cruzeiro do Sul, Justiça Eleitoral nega candidatura do humorista “Neto Cabeção”

Francisco das Chagas Rosas Neto (Neto Cabeção), é uma figura bem-humorada e conhecida dos cruzeirenses. Filiado ao PDT, Neto Cabeção tentava uma vaga de...

O “todo sério” ministro Sergio Moro arrumou tempo para uma piada, em meio a uma tempestade que envolveu o avião da Força Aérea Brasileira, nesta segunda-feira, numa tentativa de pouso em Cruzeiro do Sul. A turbulência, das mais intensas, prendeu na poltrona um grupo de políticos acostumados a cruzar o Atlântico em repetitivas missões oficiais. O senador Petecão era o mais agitado e nervoso após 40 minutos sobrevoando a cidade sem que houvesse teto para sequer avistar o Aeroporto da cidade.

“Você confia no seu suplente?”, questionou o ministro ao senador, que é primeiro-secretário do Congresso Nacional. Não se sabe qual foi a reação de Petecão, que, pálido, parecia necessitar de uma transfusão de sangue de emergência. Mas a aeronave, que estava cheia de políticos (parte da bancada federal acreana, inclusive), se dividiu em gargalhadas e  orações. Por um minuto, questionou-se quem assumiria o Governo do Acre, uma vez que o governador Gladson Cameli e seu vice, Major Rocha, também estavam a bordo. O avião pousou sem contratempo após “fortes emoções” entre o grupo predominantemente de homens.

A informação foi dada pela Revista Veja, que obteve detalhes do voo a partir de uma fonte sua que estava a bordo.

A comitiva cruzou o coração da mata amazônica para inaugurar uma base integrada do Grupamento Especial de Fronteira (GEFRON). Ali estava praticamente todo o secretariado do governo ao lado do governador Gladson Cameli e seu vice Wherles Rocha (PSDB), diz a publicação.

O governador acreano, amante e colecionador de miniaturas da aviação mundial, não teria ficado tão abalado quanto Petecão, Mailza Gomes e Márcio Bittar (esse último sobrevivente de uma tragédia aérea com mortos, em Sena Madureira).

 




- Advertisement -

Mais notícias