No menu items!
26 C
Rio Branco
sábado, outubro 24, 2020

Sintesac, que tem comissionados no governo, não aceita investigar vantagens ilegais. Veja lista

Últimas

Gladson busca apoio do Exército para ofertar água potável em comunidades indígenas e ribeirinhas

Da Secom Os esforços do governador Gladson Cameli para melhorar a qualidade de vida da população acreana não param. Cumprindo agenda em Manaus (AM), nesta...

Polícia investiga prefeito do Acre e suas amantes, que são fantasmas e ostentam na Internet

Enquanto a maioria dos servidores da prefeitura de Xapuri trabalha jornadas de oito horas diárias para ganhar um salário mínimo, duas eventuais funcionárias comissionadas...

Número de alunos entrando no ensino superior público caiu em 2019

O número de alunos entrando em universidades públicas em 2019 foi de 559 mil, uma queda de 3,7% em comparação à quantidade de estudantes...

STF: plenário vai julgar obrigatoriedade da vacina contra Covid-19

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou urgência na tramitação de ações ligadas à vacinação contra a Covid-19. Com isso, o magistrado...

Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da Coronavac

Após ser acusada pelo Instituto Butantan de retardar a fabricação da vacina da farmacêutica Sinovac, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, nesta sexta-feira...

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Acre (SINTESAC) não gosta da transparência. Emitiu nota repudiando a decisão do governo do Estado do Acre em apurar a legalidade de benefícios que vêm sendo pagos a 40 servidores da UPA da Sobral. A unidade tem enfermeiras na escala morando no Nordeste e outras fazendo Medicina no Paraguai, como mostrou o acjornal há dois meses.

O próprio governador foi na unidade pedir desculpas aos pacientes pela falta de médicos. Naquele momento, Gladson disse que iria apurar todos os possíveis desmandos na UPA Sobral.

A gerente geral, Tatiana Calixto, que também é investigada e é irmã do diretor exonerado da Sesacre, Érisson Calixto (Administração e Finanças), seria conivente, juntamente com sua coordenadora de Epidemiologia, Sandréya Maia, que, embora esteja escalada para trabalhar durante a noite, põe em seu lugar outros servidores. A prática levanta suspeita de divisão irregular de plantões extras.

O secretário Alisson Bestene quer saber se há funcionários na folha sem cumprir expediente. A ordem do governador é identificar fantasmas e, além disso, a concessão de gratificações indevidas. “O direito constitucional está garantido. O governo tem o direito de colocar a limpo a situação. Queremos transparência e lisura”, declarou o secretário.

O sindicato, que tem alguns de seus diretores nomeados como comissionados na Sesacre, não questionou se há ilegalidades. Ao invés de apoiar a investigação, veio a público condenar a suspensão temporária dos benefícios

Abaixo, a nota do sindicato

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde no Estado do Acre (SINTESAC), vem
a público repudiar a decisão do governo do Estado do Acre, em estar
retirando o adicional de insalubridade de mais de 40 trabalhadores em
saúde da Unidade de Pronto Atendimento da Sobral (UPA da Sobral).

Na manhã de hoje (18), circulou um memorando no interior da unidade, que
trata da retirada das gratificações. Com salários defasados, agora a
categoria terá mais essa baixa. O Sintesac repudia essa medida.

Insalubridade

É caracterizada pela exposição do trabalhador a determinados agentes
físicos, químicos ou biológicos. Tal exposição necessariamente deve
decorrer do ambiente de trabalho ou da atividade desenvolvida.

Ademais, o artigo 189 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) define
insalubridade como as atividades ou operações que, por sua natureza,
condições ou métodos de trabalho, exponham os empregados a agentes
nocivos à saúde, acima dos limites de tolerância fixados da natureza e
da intensidade do agente e do tempo de exposição aos seus efeitos.

O Sintesac vai acionar a justiça para reverter essa situação. Uma
paralisação geral pelos trabalhadores afetados não está descartada. “Já
passamos para o jurídico tomar as medidas legais e vamos levar aos
trabalhadores”, garantiu o sindicalista.

Abaixo, a nota do secretário

Nota de Esclarecimento

O governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), informa que determinou a suspensão do documento que cancelava vantagens dos servidores, até que seja realizado um levantamento sobre a concessão de tais benefícios aos trabalhadores.

A Sesacre informa ainda que a atual gestão está tomando ciência de processos e decisões anteriores, além de conversar com os servidores, priorizando, entre outras coisas, o diálogo e a transparência.

É importante lembrar que o objetivo do governo do Estado é valorizar os servidores públicos, oferecendo sempre melhores condições de trabalho.

Alysson Bestene
Secretário de Estado de Saúde




- Advertisement -

Mais notícias