No menu items!
26 C
Rio Branco
sábado, outubro 24, 2020

Foragido, “Diabão” é condenado a 33 anos por morte de estudante em Capixaba

Últimas

Gladson busca apoio do Exército para ofertar água potável em comunidades indígenas e ribeirinhas

Da Secom Os esforços do governador Gladson Cameli para melhorar a qualidade de vida da população acreana não param. Cumprindo agenda em Manaus (AM), nesta...

Polícia investiga prefeito do Acre e suas amantes, que são fantasmas e ostentam na Internet

Enquanto a maioria dos servidores da prefeitura de Xapuri trabalha jornadas de oito horas diárias para ganhar um salário mínimo, duas eventuais funcionárias comissionadas...

Número de alunos entrando no ensino superior público caiu em 2019

O número de alunos entrando em universidades públicas em 2019 foi de 559 mil, uma queda de 3,7% em comparação à quantidade de estudantes...

STF: plenário vai julgar obrigatoriedade da vacina contra Covid-19

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou urgência na tramitação de ações ligadas à vacinação contra a Covid-19. Com isso, o magistrado...

Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da Coronavac

Após ser acusada pelo Instituto Butantan de retardar a fabricação da vacina da farmacêutica Sinovac, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, nesta sexta-feira...

O Conselho de sentença da Vara do Tribunal do Júri de Capixaba condenou o presidiário Matheus Camparerutti Pinheiro a 33 e 4 meses anos de prisão pelo assassinato da estudante universitária Dayane Kédila da Silva e pela tentativa contra a mãe da jovem, dona Valquiria Roque.
O julgamento, que não teve a presença do réu, foi realizado na tarde de quarta-feira, 27, em Capixaba. Dayane Kédila, que era estudante de administração, foi assassinada no dia 07 de setembro do ano passado com dois tiros, sendo um na cabeça, disparado a uma curta distância.

O crime aconteceu dentro de casa da vítima. Na mesma ação Matheus atirou na dona de casa Valqueria Roque, que tentou defender a filha. O homicida foi preso em agosto do ano passado por policias da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa, a DHPP.

Mas no último dia 14 o assassino fugiu, quando participava de um curso de marcenaria, oferecido aos presos pelo Instituto de Administração Penitenciária. A fuga do criminoso causou revolta na família da vítima. O maior questionamento era saber quem autorizou a transferência do detento, considerado de alta periculosidade, para a Unidade UP_4.

Além disso, em pouco mais de um ano preso, Diabão foi autorizado a fazer cursos, mesmo cometendo dois crimes graves. A direção do IAPEN informou que foi aberto um procedimento para apurar as circunstancias da fuga.

 




- Advertisement -

Mais notícias