No menu items!
26 C
Rio Branco
sábado, outubro 24, 2020

Sem inseticida para combater o mosquito da Dengue, Sena Madureira tem mais um surto da doença

Últimas

Gladson busca apoio do Exército para ofertar água potável em comunidades indígenas e ribeirinhas

Da Secom Os esforços do governador Gladson Cameli para melhorar a qualidade de vida da população acreana não param. Cumprindo agenda em Manaus (AM), nesta...

Polícia investiga prefeito do Acre e suas amantes, que são fantasmas e ostentam na Internet

Enquanto a maioria dos servidores da prefeitura de Xapuri trabalha jornadas de oito horas diárias para ganhar um salário mínimo, duas eventuais funcionárias comissionadas...

Número de alunos entrando no ensino superior público caiu em 2019

O número de alunos entrando em universidades públicas em 2019 foi de 559 mil, uma queda de 3,7% em comparação à quantidade de estudantes...

STF: plenário vai julgar obrigatoriedade da vacina contra Covid-19

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou urgência na tramitação de ações ligadas à vacinação contra a Covid-19. Com isso, o magistrado...

Anvisa libera importação de 6 milhões de doses da Coronavac

Após ser acusada pelo Instituto Butantan de retardar a fabricação da vacina da farmacêutica Sinovac, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou, nesta sexta-feira...

A própria secretaria Municipal de Saúde já admite estar prestes  um segundo surto de Dengue em Sena Madureira em menos de 23 meses.

No ano passado a cidade, localizada a 144 quilômetros de Rio Branco, registrou os maiores números de casos da doença no Estado do Acre.

Este ano, o período chuvoso, propicio para a proliferação do mosquito transmissor da dengue, ainda nem começou, de fato, e o índice de infestação residencial já é superior ao mesmo período do ano passado, segundo alerta emitido esta semana pela secretaria Municipal de saúde.

O secretario Daniel Herculano foi às rádios locais, nesta sexta feira, dizer que o município não tem inseticida para combater o mosquito e pediu à população que ela mesma trate de combater os possíveis criadouros do Aedes aegypti em suas casas, sob pena de ter que passar por um outro surto da doença este ano pior do que em 2018.

“O governo do Estado atrasou a compra do inseticida e não tem previsão de quando vamos receber o veneno para combater o mosquito da dengue. Por se tratar de um produto de venda controlada por lei, a prefeitura não tem autorização, legal, para fazer a compra direta do fornecedor”. explicou.

Daniel Herculano disse ainda que o número de casos da doença registrados nos postos de saúde locais já são bastante elevados para o período e confidenciou a situação de impotência do poder público municipal para evitar uma possível epidemia da doença.

“Nós temos bombas novas, temos carros equipados para borrifar e pessoas preparadas para o trabalho de prevenção. Mas, sem o inseticida, não temos muito o que fazer, a não ser alertar as pessoas para o risco da doença e pedir a ajuda delas nesse momento de dificuldade para a saúde pública do nosso município”, afirmou.




- Advertisement -

Mais notícias