Prefeitura de Rio Branco anuncia Prêmio Bacurau de Direitos Humanos

Acontece no próximo dia 09 de dezembro a assinatura do decreto que institui o PRÊMIO BACURAU DE DIREITOS HUMANOS. A cerimônia será realizada às 09hs no Teatro Maués, localizado no Bairro Manoel Julião.
A iniciativa da Prefeitura de Rio Branco deu-se por meio das Secretarias Municipais de Assistência Social e Direitos Humanos – SASDH, Saúde – SEMSA e Fundação de Cultura, Esporte e Lazer Garibaldi Brasil (FGB), que juntamente com a Prefeita Socorro Neri decidiu prestar essa justa homenagem a personalidades, instituições e iniciativas exitosas de promoção dos Direitos Humanos, e consequentemente enaltecendo a cultura de paz e o respeito às diferenças no Município de Rio Branco, prezando exclusivamente pelo princípio da dignidade da pessoa humana.
Pensando na política de valorização, de reconhecimento à participação e a contribuição enquanto agente do poder público e da sociedade civil na defesa e promoção dos Direitos Humanos no Município de Rio Branco, incentivando o aprofundamento do diálogo entre poder público e sociedade, a homenagem apresenta ainda o amplo espectro de atuação dos Direitos Humanos em suas diferentes temáticas, todas voltadas para a dignidade da pessoa humana enquanto um dos princípios do Estado Democrático de Direito.
O Prêmio Bacurau de Direitos Humanos tem como público alvo o trabalho coletivo ou individual de agentes públicos ou civis, materializado em boas práticas nas instituições públicas ou entidades civis relacionadas à promoção e defesa dos direitos humanos. Trata-se de mais um espaço aberto pelo Município para dialogar com a sociedade e qualificar o debate em torno dessa temática, valorizando atores e entidades que promoveram e promovem uma cultura de paz em defesa dos Direitos Fundamentais.
Com o intuito de valorizar tais iniciativas, a Prefeitura de Rio Branco estabelece que seja agraciada com 01(um) troféu a boa prática escolhida, na pessoa do seu representante. Tal avaliação e escolha passarão pela análise criteriosa de um Grupo de Trabalho (GT), cuja representação é formada por membros da Sociedade Civil e Prefeitura de Rio Branco.
O objetivo geral do Prêmio é incentivar a produção de ações que privilegiem a temática dos Direitos Humanos, valorizando a diversidade, sempre por meio do diálogo com a sociedade, procurando incorporar a cidadania na luta contra qualquer tipo de violação dos direitos fundamentais.

Quem foi Bacurau?
Francisco Augusto Vieira Nunes, o Bacurau, nasceu em Manicoré, no Estado do Amazonas, em 1939. Bacurau contraiu hanseníase aos cinco anos de idade, na década de 40. Desde a infância conheceu de perto o preconceito e o isolamento do convívio social. Na adolescência passou a morar no hospital colônia de Porto Velho e lá ganhou o apelido de Bacurau, nome de um pássaro da região.
No início da década de 60 foi internado na colônia Souza Araújo, em Rio Branco, no Acre. Por seu envolvimento efetivo nas questões da comunidade, tornou-se um líder comunitário respeitado. Até a sua morte, em 1997, participou ativamente de várias lutas sociais, foi reconhecido e premiado internacionalmente pelas iniciativas e conquistas. Bacurau foi um dos fundadores do Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase – Morhan –, em 1981.
A trajetória humanista e corajosa de Bacurau serve tanto de modelo àqueles que deixam o próprio destino reger suas vidas, como de reforço do espírito de luta daqueles que se empenham em promover transformações sociais. É preciso lembrar sempre de pessoas que não se entregaram diante das dificuldades e das omissões alheias.