Policial Federal que matou estudante Rafael Frota vai a Júri Popular

O Agente de Polícia Federal Victor Manuel Campelo será levado a Júri popular. A decisão é do Juiz Alesson Brás da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditória Militar. O agente de Policial Federal será julgado pela morte do Estudante Rafael Frota, ocorrida em julho de 2016, durante uma briga em uma boate de Rio Branco.

Na sentença de pronúncia o magistrado declarou que as provas apresentadas no processo mostram a materialidade e autoria do crime. Victor Campelo vai sentar no banco dos réus para responder por homicídio simples.

O advogado Wellington Silva discordou da decisão. “Desde o primeiro momento, a gente entendeu que o Victor agiu em legitima defesa. Inclusive o delegado que presidiu o inquérito teve o mesmo entendimento”, disse o advogado.

Na última segunda-feira, 27, o defensor do réu protocolou junto à Câmara Criminal o recurso de apelação criminal. Na mesma decisão o Juiz absolveu sumariamente (sem a necessidade de ir a júri popular), o policial federal da acusação de tentativa de homicídio contra a vítima Nelsione Patrício.

A previsão é que o recurso da defesa para que Victor Campelo não var a júri popular seja julgado até o primeiro semestre deste ano.

Preso em flagrante pela morte do estudante Rafael Frota, o agente de policial federal chegou a ficar recluso por 45 dias.  Mas depois ganhou a liberdade e passou a cumprir medidas cautelares. Em maio de 2017, as medidas cautelares foram suspensas pelo justiça e Victor voltou à atividade policial.
A data do júri só será marcado após o julgamento de todos os recursos de apelação.