Ex-craque paraguaio Romerito prestigia evento do Fluzão no Acre e doa uma camisa oficial para cada novo associado

Feijoada, som ao vivo e muita animação marcam o reencontro de torcedores do Fluminense, em Rio Branco, neste domingo, na sede da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB).

O ex-craque Romerito é convidado de honra para o evento que tem objetivo de promover a campanha do clube para 2020 e conquistar novos sócios.

O senamadureirense Hércules Mota, de 20 anos, veio de Sena Madureira. Conta que preparou a camisa tricolor na noite anterior para usá-la nesta ocasião especial. E não esconde a a ansiedade para a viagem que fará nos próximos dias ao Rio de Janeiro, na companhia de um tio. “terei a oportunidade de ver meu time jogar o carioca e conhecer o nosso CT”, anima-se o jovem, recém formado em TI (Tecnologia da Informação) pelo Ifac.

A campanha acontece simultaneamente em várias cidades do país. Os tricolores assistirão à partida entre Fluminense e Botafogo, logo mais, válida pelo Campeonato Carioca. Os organizadores doam uma camisa oficial do clube para novo associado.

“É uma honta estar aqui. Levarei a lembrança de um momento marcante. Essa torcida é gigante, maravilhosa, e certamente será premiada com títulos e boas atuações do nosso time”, declarou Romerito.

Júlio César Romero Insfrán, o Romerito, ex-ponta do Fluminense, Sportivo Luqueño, Cosmos (Estados Unidos), Barcelona (Espanha) e Puebla (México), é hoje empresário de jogadores.
Virou herói quando marcou o gol do Flu contra o Vasco na decisão do Campeonato Brasileiro de 1984. A equipe tricolor tinha o comando de Carlos Alberto Pareira.
Romerito mora em Assunção e disputa o Torneio de Veteranos de Foz de Iguaçu pelo Flamengo E.C.
Nascido em Luque, no Paraguai, em 28 de agosto de 1960, o ex-craque administra passe de jogadores vinculados ao Cosmos, e Olímpia.
Ao lado da dupla Assis e Washington, do ex-lateral Branco e do ex-zagueiro e atual técnico Ricardo Gomes, Romerito também conquistou o bi carioca de 1984/85.
“Era um time muito bom, que conquistou estaduais, o Campeonato Brasileiro de 84 e torneios internacionais.
Foi um orgulho de ter vestido a camisa do Fluminense”, disse o paraguaio, entrevistado pouco antes da decisão da Libertadores de 2008, no Maracanã, entre Flu e LDU.