No menu items!
24 C
Rio Branco
quarta-feira, outubro 21, 2020

Acre permanece na lista dos Estados com novos casos de hanseníases

Últimas

Caso Jonhliane: Ícaro e Alan viram réus, irão a júri popular e podem pegar até 30 anos cada

O fisioterapeuta Ícaro José da Silva Pinto e o estudante Araújo de Lima passaram da condição de acusados para réus no processo que apura...

Médico diz pra Rocha pedir pra “cagar”, renunciar e largar os privilégios do governo. “Quer enganar a quem”?

O médico Luciano Carioca perdeu a paciência com o vice-governador Major Rocha. Ele se sentiu incomodado com os ataques do militar ao governo e...

Coação e constrangimento: Estação Vip penaliza vigilantes e ameaça demitir quem não votar no candidato do coronel Ulisses

Os 250 vigilantes que trabalham na Estação Vip estão intimados a votar no instrutor de tiros Júlio Veras, candidato a vereador da capital. A...

Cruzeiro do Sul: sargento Adonis assume compromisso com taxistas

O candidato pela coligação “A Verdadeira Mudança”, Sargento Adonis, reuniu-se com taxistas na sede do sindicato, no Bairro da Baixa, na noite desta terça-feira...

Bolsonaro, Ciro Gomes, Dória e Lula apadrinham campanhas Brasil afora, mas nenhum deles vem ao Acre

O Blog do Assem apurou que os candidatos Bocalom (PP), Minoru Kinpara (PSDB) e Roberto Duarte (MDB) tentam em vão o apoio presencial de...

Pelo segundo ano seguido o Brasil voltou a registrar novos casos de hanseniases, com destaque negativo para a região Norte, onde a incidência da doença é proporcionalmente maior quando comparado aos habitantes dos estados de outras regiões.

O aumento de 14% é equivalente a 25.214 novos pacientes diagnosticados com a hanseniases em todo o país somente no ano passado.

Desse total, 6 mil estão na região Norte, distribuídos nos Estados do Pará, Tocantins, Rondônia e Acre – número considerado muito alto quando comparadosà demografia populacional das demais regiões do país.

O coordenador do programa Nacional de controle da hanseniases, dermatologista e hansenólogo Maurício Lisboa da Nóbrega, acredita que o problema está no formato das campanhas de prevenção da doença.

“Para poder se tornar eficaz no combate da hanseniases o sistema de imunização precisa realizar campanhas permanentes nessas regiões de maior incidência da doença hoje”. disse.

O ministério da saúde calcula que para cada um novo caso da doença diagnosticado em um raio de 100 metros, uma outra pessoa seja infectada no prazo de um ano.

A hanseniases tem cura, e se descoberta a tempo se torna mais fácil o tratamento oferecido gratuitamente no sistema único de saúde.

No Acre, o governo está concluído o treinamento de várias equipes de saúde para iniciar uma grande campanha de conscientização populacional sobre a doença.

A ideia é levar conhecimento às pessoas sobre a maneira de contágio da doença e incentivar-las a realizarem exames preventivos dos sintomas da doença.

O público alvo da campanha vai ser os alunos do ensino médio da rede pública de educação.




- Advertisement -

Mais notícias