No menu items!
24 C
Rio Branco
quarta-feira, outubro 21, 2020

PF desmente prefeito: porta da prefeitura não foi arrombada e vigia não tinha chaves

Últimas

Médico diz pra Rocha pedir pra “cagar”, renunciar e largar os privilégios do governo. “Quer enganar a quem”?

O médico Luciano Carioca perdeu a paciência com o vice-governador Major Rocha. Ele se sentiu incomodado com os ataques do militar ao governo e...

Coação e constrangimento: Estação Vip penaliza vigilantes e ameaça demitir quem não votar no candidato do coronel Ulisses

Os 250 vigilantes que trabalham na Estação Vip estão intimados a votar no instrutor de tiros Júlio Veras, candidato a vereador da capital. A...

Cruzeiro do Sul: sargento Adonis assume compromisso com taxistas

O candidato pela coligação “A Verdadeira Mudança”, Sargento Adonis, reuniu-se com taxistas na sede do sindicato, no Bairro da Baixa, na noite desta terça-feira...

Bolsonaro, Ciro Gomes, Dória e Lula apadrinham campanhas Brasil afora, mas nenhum deles vem ao Acre

O Blog do Assem apurou que os candidatos Bocalom (PP), Minoru Kinpara (PSDB) e Roberto Duarte (MDB) tentam em vão o apoio presencial de...

A convite de Jarbas Soster, farmacêutico e bioquímico Alexandre Thomazini propõe representar famílias carentes na Câmara de Rio Branco

Farmacêutico e bioquímico, Alexandre Thomazini, de 34 anos, surpreende nas ruas de Rio Branco pelas proposta inovadoras e o discurso casado com a premissa...

A primeira reação do prefeito Iderlei Cordeiro após a prisão de sua irmã e um secretário, na opoeração da PF, na última sexta-feira, foi dizer que a porta da prefeitura foi arrombada. Apesar de apoiar a operação policial – a maior no município – o prefeito atacou a forma como os agentes cumpriram mandados de busca e apreensão. Na manhã desta terça-feira, uma nota da PF foi enviada ao acjornal. Leia na íntegra:

Em referência ao pronunciamento do Prefeito de Cruzeiro do Sul Ilderlei Cordeiro, em praça pública no dia 17/02/2020, de que a Polícia Federal teria “arrombado a porta da Prefeitura”, informamos que:
1) A ordem judicial de mandado de busca e apreensão foi cumprida no estrito rigor artigo 245 do Código de Processo Penal;
2) Apesar de haver vigia no local da busca e apreensão, o mesmo não possuía a chave para abrir a porta;
3) Em nenhum momento houve o arrombamento, mas foram retiradas as dobradiças da porta de entrada, fato este acompanhado por duas testemunhas.
4) Ao final do procedimento de busca e apreensão as dobradiças foram recolocadas, não havendo nenhum prejuízo ao órgão público.
5) A Polícia Federal reitera seu compromisso, como polícia republicana, de trabalhar de forma isenta, discreta e apartidária, nos estritos limites da lei.




- Advertisement -

Mais notícias