No menu items!
24 C
Rio Branco
quinta-feira, outubro 22, 2020

Acreanas são presas conduzindo moto roubada de Rio Branco para a Bolívia

Últimas

 Prefeito petista de Xapuri manda única retroescavadeira para fazenda de amigo e município leva prejuízo de R$ 500 mil

 Uma retroescavadeira avaliada em quase meio milhão de reais, pertencente à Prefeitura de Xapuri, teria ficado inoperante ao cair de uma ponte, dentro de...

Advogado Lázaro Barbosa promete, se eleito, desmontar em 3 meses o esquema das empresas de ônibus em Rio Branco

O candidato a Vereador Lázaro Barbosa, jornalista e advogado, apresentou nas suas redes sociais uma proposta que está repercutindo bastante, destinada a baixar o...

Jarbas Soster reafirma compromisso com servidores públicos de Rio Branco

Na tarde desta quarta-feira, 21, o candidato a prefeitura de Rio Branco, Jarbas Soster, participou de uma reunião com a diretoria do Sindicato dos...

Caso Jonhliane: Ícaro e Alan viram réus, irão a júri popular e podem pegar até 30 anos cada

O fisioterapeuta Ícaro José da Silva Pinto e o estudante Araújo de Lima passaram da condição de acusados para réus no processo que apura...

Médico diz pra Rocha pedir pra “cagar”, renunciar e largar os privilégios do governo. “Quer enganar a quem”?

O médico Luciano Carioca perdeu a paciência com o vice-governador Major Rocha. Ele se sentiu incomodado com os ataques do militar ao governo e...

Duas mulheres, naturais de Rio Branco (AC), foram presas em flagrante, nas primeiras horas desta quarta feira (19) na BR-364, com destino à Bolívia, conduzindo uma moto que havia sido roubada na capital acreana na semana passada.

A motocicleta Honda, modelo Biz 150, placa QLU 24 84, seria a segunda em menos de uma semana que as duas mulheres iam deixar na Vila Puerto Evo Morales (BO) a mando de uma quadrilha que vem roubando veículos no Acre e levando para o país vizinho cruzando a fronteira através de uma ponte clandestina sobre o igarapé Rapirrã, na cidade de Plácido de Castro (AC) a 90 quilômetros de Rio Branco.

As mulheres estavam vestidas com roupas típicas das produtoras rurais da região e ao se depararem com a viatura policial entraram em um ramal disfarçando que estavam indo para o trabalho na roça.

Ao serem abordadas e levadas para a delegacia do municipio de Plácido de Castro elas confessaram o crime e admitiram que são uma espécie de motorista da quadrilha que agem no Acre.

As duas prestaram depoimento ao delegado plantonista, mas nao revelaram o nome de seus chefes dentro da quadrilha. Só disseram que recebem as motos em Rio Branco e entregam a um boliviano do outro lado da fronteira.

Elas costumavam usar a rota da BR-364, conforme já denunciou o Acjornal em uma série de reportagens, no mês passado, sobre as estradas utilizadas pelos ladrões de carros para chegarem à Bolívia.

No caso das duas mulheres, na motocicleta roubada, elas saíram de Rio Branco pela Rodovia 317, e seguiram até o município de senador Guiomard para não passarem pelo posto de fiscalização da Polícia Rodoviária Federal no quilômetros 7 da BR- 364.

De lá, pegaram um trecho de 16 quilômetros voltando para a BR-364, na altura da rotatória da estrada que vai para Boca do Acre (AM), evitando passarem pelo posto da Polícia Militar da BR-317.

Da rotatória, conhecida por quatro bocas, elas viraram para a direita e seguiram reto pela BR-364, até vila Campinas e depois a cidade de Acrelândia. Mais 40 quilômetros estariam em Plácido de Castro para cruzarem a fronteira tranquilamente.




- Advertisement -

Mais notícias