No menu items!
33 C
Rio Branco
quarta-feira, outubro 21, 2020

Primo e coordenador de campanha de Roberto Duarte devem deixar o governo. Gladson não foi informado Maria Alice

Últimas

Caso Jonhliane: Ícaro e Alan viram réus, irão a júri popular e podem pegar até 30 anos cada

O fisioterapeuta Ícaro José da Silva Pinto e o estudante Araújo de Lima passaram da condição de acusados para réus no processo que apura...

Médico diz pra Rocha pedir pra “cagar”, renunciar e largar os privilégios do governo. “Quer enganar a quem”?

O médico Luciano Carioca perdeu a paciência com o vice-governador Major Rocha. Ele se sentiu incomodado com os ataques do militar ao governo e...

Coação e constrangimento: Estação Vip penaliza vigilantes e ameaça demitir quem não votar no candidato do coronel Ulisses

Os 250 vigilantes que trabalham na Estação Vip estão intimados a votar no instrutor de tiros Júlio Veras, candidato a vereador da capital. A...

Cruzeiro do Sul: sargento Adonis assume compromisso com taxistas

O candidato pela coligação “A Verdadeira Mudança”, Sargento Adonis, reuniu-se com taxistas na sede do sindicato, no Bairro da Baixa, na noite desta terça-feira...

Bolsonaro, Ciro Gomes, Dória e Lula apadrinham campanhas Brasil afora, mas nenhum deles vem ao Acre

O Blog do Assem apurou que os candidatos Bocalom (PP), Minoru Kinpara (PSDB) e Roberto Duarte (MDB) tentam em vão o apoio presencial de...

A cota do deputado Roberto Duarte Júnior (MDB) no Governo do Estado vai ser esvaziada. O primo do parlamentar, Guilherme Shirmer Duarte, diretor de Gestão de Pessoas da Secretaria de planejamento, deve pedir exoneração. Da mesma forma, o secretário adjunto da Seplag, Jarbas Anute Costa, que foi coordenador de campanha de Roberto Duarte, e que assume a titularidade da pasta quando a engenheira civil Maria Alice se ausenta.

Aliás, o governador Gladson Cameli disse ao acjornal que não foi comunicado da suposta saída de Maria Alice. A ainda secretária, segundo um articulista político, teria apresentado argumentos técnicos e saiu “atirando” no governo.

O desembarque do MDB é resultado da decisão do partido em disputar a Prefeitura de Rio Branco com candidato próprio. Também é insustentável tratar o deputado Roberto Duarte como aliado diante do comportamento irascível que ele chama de “mandato independente”.

Mais cedo, Gladson Cameli disse que quem estiver insatisfeito tem a prerrogativa de pedir para sair. O governador foi cordial com os ex-aliados, mas não pediu para nenhum deles ficar no governo.

É aguardada uma nota do MDB sobre a questão, que seja assinada pelo deputado federal Flaviano Melo, responsável por orientar correligionários contra a aliança que derrotou o PT.

Ao ser questionada sobre Jarbas e Guilherme, a assessoria do deputado disse que “eles foram convidados pela secretária”.




- Advertisement -

Mais notícias