No menu items!
24 C
Rio Branco
quinta-feira, outubro 22, 2020

MP-AC já investiga assessores fantasmas do deputado Roberto Duarte; promotora linha dura coordena grupo anti corrupção

Últimas

 Prefeito petista de Xapuri manda única retroescavadeira para fazenda de amigo e município leva prejuízo de R$ 500 mil

 Uma retroescavadeira avaliada em quase meio milhão de reais, pertencente à Prefeitura de Xapuri, teria ficado inoperante ao cair de uma ponte, dentro de...

Advogado Lázaro Barbosa promete, se eleito, desmontar em 3 meses o esquema das empresas de ônibus em Rio Branco

O candidato a Vereador Lázaro Barbosa, jornalista e advogado, apresentou nas suas redes sociais uma proposta que está repercutindo bastante, destinada a baixar o...

Jarbas Soster reafirma compromisso com servidores públicos de Rio Branco

Na tarde desta quarta-feira, 21, o candidato a prefeitura de Rio Branco, Jarbas Soster, participou de uma reunião com a diretoria do Sindicato dos...

Caso Jonhliane: Ícaro e Alan viram réus, irão a júri popular e podem pegar até 30 anos cada

O fisioterapeuta Ícaro José da Silva Pinto e o estudante Araújo de Lima passaram da condição de acusados para réus no processo que apura...

Médico diz pra Rocha pedir pra “cagar”, renunciar e largar os privilégios do governo. “Quer enganar a quem”?

O médico Luciano Carioca perdeu a paciência com o vice-governador Major Rocha. Ele se sentiu incomodado com os ataques do militar ao governo e...

A denúncia do acjornal sobre a nomeação de assessores fantasmas no gabinete do deputado Roberto Duarte, finalmente, está sob investigação. As reportagens de autoria do jornalista Assem Neto (veja AQUI e AQUI)  devem virar notícia de fato na Promotoria Especializada em Defesa do Patrimônio Público. As investigações transcorrem sob a responsabilidade da promotora Patrícia Paula, que também coordena o Grupo Especializado de Combate à Corrupção (Gaec), segundo informou a assessoria de imprensa do MPE-Acre.

A Notícia de Fato é o início de tudo. A depender das provas apresentadas, abrem-se um inquérito civil, quando as partes são chamadas para se explicar. Roberto Duarte não está imune. Não há foro privilegiado quando a investigação é sobre possíveis improbidades.

O deputado deve ser chamado a se explicar. Patrícia é conhecida como implacável na investigação contra a improbidade e à corrupção. Discreta, a promotora não fala sobre assuntos em investigação.

 

 




- Advertisement -

Mais notícias