No menu items!
30 C
Rio Branco
quarta-feira, outubro 21, 2020

Advogado “menino de recado” de facção criminosa é proibido de entrar nos presídios do Acre

Últimas

Caso Jonhliane: Ícaro e Alan viram réus, irão a júri popular e podem pegar até 30 anos cada

O fisioterapeuta Ícaro José da Silva Pinto e o estudante Araújo de Lima passaram da condição de acusados para réus no processo que apura...

Médico diz pra Rocha pedir pra “cagar”, renunciar e largar os privilégios do governo. “Quer enganar a quem”?

O médico Luciano Carioca perdeu a paciência com o vice-governador Major Rocha. Ele se sentiu incomodado com os ataques do militar ao governo e...

Coação e constrangimento: Estação Vip penaliza vigilantes e ameaça demitir quem não votar no candidato do coronel Ulisses

Os 250 vigilantes que trabalham na Estação Vip estão intimados a votar no instrutor de tiros Júlio Veras, candidato a vereador da capital. A...

Cruzeiro do Sul: sargento Adonis assume compromisso com taxistas

O candidato pela coligação “A Verdadeira Mudança”, Sargento Adonis, reuniu-se com taxistas na sede do sindicato, no Bairro da Baixa, na noite desta terça-feira...

Bolsonaro, Ciro Gomes, Dória e Lula apadrinham campanhas Brasil afora, mas nenhum deles vem ao Acre

O Blog do Assem apurou que os candidatos Bocalom (PP), Minoru Kinpara (PSDB) e Roberto Duarte (MDB) tentam em vão o apoio presencial de...

O advogado Max Elias da Silva Araújo, alvo da Operação Troia da Polícia Federal, está proibido de entrar nos presídios do Acre.
A decisão é do Juiz da Vara de Delitos e Organizações Criminosas da Comarca de Rio Branco, Robson Ribeiro Aleixo. O magistrado acatou um pedido do Ministério Publico Estadual.
Em um dos trechos da decisão o Juiz diz “Aplico ao acusado Max Elias da Silva as medidas cautelares: Proibição de frequentar qualquer unidade penitenciaria no Estado do Acre e proibição de manter contato, por qualquer meio, com os outros investigados neste processo”, escreveu o magistrado.
Para o Juiz as medidas são necessárias, uma vez que o livre trânsito do advogado pode acarretar prejuízos à investigação.
Em outubro do ano passado a Justiça aceitou a denúncia oferecida pelo Ministério Publico Estadual contra o advogado Max Elias, que passou da condição de réu para acusado no processo.
De acordo com a investigação da Polícia Federal o advogado utilizava de sua prerrogativa para atuar como “menino de recado” de membros de uma organização criminosa do Regime Disciplinar Diferenciado, o RDD.




- Advertisement -

Mais notícias