Com cassação à vista, pedido de CPI pronto, prisões e cidade inquieta, aliados de Ilderley Cordeiro somem

Sem Quorum para sessão: De 14 vereadores apenas três comparecem e sessão e cancelada em Cruzeiro do Sul

Na primeira sessão após o Carnaval – e depois da prisão da irmã do prefeito e seu secretário de Comunicação -, os vereadores da cidade de Cruzeiro do Sul decidiram gazetar o trabalho. Seria o momento de sentir o termômetro político diante, inclusive, de um pedido de CPI que está pronto. O que teriam eles a dizer em defesa do prefeito? E quanto à possível cassação de mandato, qual argumento político os aliados de Ilderley devem apresentar à sociedade?

Apenas os vereadores Elenildo da Pesca (Progressistas), Ocenir (PDT) e Keleu (PDT) compareceram na Câmara – estes dois últimos de mudança para o Progressistas. Onze parlamentares incluindo o presidente da mesa diretora, Clodoaldo Rodrigues (PL), faltaram a primeira sessão ordinária após a folga do carnaval.

Os que gazetaram trabalho foram: Carlinhos Alves, Mauri Sinhô, Chaguinha do Povo, Mazinho, Romário Tavares, Leandro Candido, Ronaldo da Farmácia, Antônio Cosmo, Franciney, Professora Mariazinha e o presidente Clodoaldo Rodrigues.

Cruzeiro do Sul vive dias agitado na política, depois da prisão de secretários e servidores da ONG: CBCN, que é acusada de desvios de recursos públicos da administração municipal. O vereador Antônio Cosmo (MDB), aguardava ansiosamente pela sessão, haja vista que o mesmo daria entrada a um pedido de instalação de uma CPI- Comissão Parlamentar de Inquérito, para investigar os gastos da prefeitura com uma ONG acusada de receber indevidamente recursos públicos.

O parlamentar MDBista afirma já ter garantias de assinaturas suficiente, que possibilitem a comissão na casa, que pode apurar possíveis irregularidades nos contratos e repasses da prefeitura para a ONG CBCN.