Presos da FOC estocaram farofa com mortadela antes da falsa greve de fome

Presos haviam estocado farofa de farinha de mandioca antes de anunciarem greve de fome no presídio Francisco de Oliveira Conde. Em revista surpresa no pavilhão P do presídio estadual Francisco de Oliveira Conde, no final da tarde desta segunda-feira (2) os polícias penais apreenderam várias garrafas Pet cheias de farofa de mandioca com mortadela. Junto com as garrafas Pet de farofa, a polícia penal encontrou, tambem, biscoito, pão francês, mortadela, bolacha e até cereais.

O alimento, típico da região Norte do Brasil, havia sido estocado pelos detentos antes do anúncio de greve de fome no pavilhão P. As garrafas de farofa estavam escondidas debaixo dos dormitórios, enroladas em peças de roupas e até dentro dos banheiros das celas.

“A intenção dos detentos era consumir a farofa durante os dias em que, oficialmente, estariam em greve de fome”, disse um policial penal que participou da operação.

Os presos do pavilhão onde o estoque de alimentação foi recolhido, haviam comunicado à direção do presídio que iriam iniciar uma greve de fome em protesto alguns procedimentos operacionais de segurança que a polícia penal vem realizando com frequência nas celas do Presídio Francisco de Oliveira Conde, em Rio Branco.

Esses indivíduos que comem do bom e do melhor não sabem o que é de fato passar fome. Fome mesmo passam os necessitados na Etiópia, na Nigéria, no Sudão do Sul. Aquilo sim é fome. Já os farofeiros da FOC, não passam de meros humoristas com a piada que se propõem a protagonizar.