Após anunciar rompimento com PT, Cesar Messias chama jornalista de mentiroso, mas culpa “ligação ruim e mal entendido”.

O presidente do PSB, César Messias, de forma muito confusa, negou ter declarado ao acjornal haver possibilidade de aliança com o PT nas eleições deste ano. Após veiculação da reportagem (veja AQUI), ele emitiu nota acusando o redator de mentiroso, sustentando que a matéria é leviana. Messias afirmou categoricamente: “de minha parte isso não existirá”, usando o verbo no futuro do presente.

A ligação foi feita por um telefone moderno, de final 9365, cujas gravações são proibidas de fábrica, por questões de segurança.

Após a nota do PSB, e se sentindo atacado, o jornalista ligou para o ex-deputado, usando outro aparelho, com número de final 3441 – este que permite a gravação do diálogo.

Ambos voltaram a conversar, desta vez em tom ríspido (ouça abaixo). Messias manteve a negativa, mas admitiu que, possivelmente, tenha interpretado mal a pergunta do repórter. Afirmou que a ligação estava ruim. E, mais adiante, desdisse tudo que havia falado antes. O dirigente foi pressionado a se explicar após a divulgação da reportagem.

O jornalista admite que ouviu, sim, do dirigente do PSB, a afirmação de que jamais fechou portas para negociações com quaisquer partidos, razão pela qual estranhou o rompimento com o PT nesse instante em que as legendas ainda negociam possíveis alianças.

Nota da redação

O acjornal não tem motivos para inventar ou plantar declarações em nome de quem quer que seja. E, de público, comunica que todos os diálogos com autoridades políticas a partir desta data serão gravadas, a fim de salvaguardar a idoneidade de seus profissionais e evitar ilações como a cometida pelo ex-deputado César Messias. Cada um que assuma suas responsabilidades e sua palavra, mesmo diante da repercussão que estas tomem após suas declarações impensadas.