Ilderlei Cordeiro pressente cassação, fala demais, desagrada a todos, está fora dos planos do PP e atual vice será o candidato em CZS

Quando o fantasma da cassação assombrou mais intensamente, nos últimos dias, o prefeito Iderley Cordeiro podia ter ficado calado. Mas apostou num comentário desnecessário: disse que, caso perca o mandato (ele é acusado de corrupção e será julgado nos próximos dias) o seu candidato predileto seria o tio, Rudiley Estrela, derrotado nas eleições para deputado federal em 2018. Falou com uma importância que não possui para decidir nada.

A sanha por emplacar familiares no poder (ele já tem a irmã como chefe de seu gabinete) desagradou o povo cruzeirense, para completar o inferno astral do prefeito que tem em seu encalço a Polícia Federal, em operações que correm paralelamente ao processo de cassação.

A cúpula do Partido Progressista (PP), ao qual Cordeiro ainda está filiado, já não vê o prefeito como um forte aliado. Por dois motivos: a vulnerabilidade política dele, agravada pela quase certeza de sua cassação, e a queda vertiginosa de sua popularidade. Numa jogada de Marketing político, o município foi apontado como referência na pavimentação de vias públicas. Até sediou encontro como gestores municipais de outras regiões.

Os dirigentes da legenda, então  decidiram por Zequinha Lima, o atual vice-prefeito da segunda maior cidade do Acre. Foi uma decisão festiva, em encontro no Palácio Rio Branco, na noite desta segunda-feira, sem a presença do prefeito.