Justiça mantém preso ex-policial penal que decapitou a esposa em Rio Branco

Ao reavaliar a prisão preventiva do ex-policial penal Invahoé de Oliveira Lima, que decapitou a própria esposa, o Juiz Alesson Bráz decidiu mantê-lo em cárcere.
A reavaliação atende uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça, de 17 de março de 2020, que orientou os Tribunais e magistrados a adoção de medidas preventivas contra o novo coronavírus.

Na decisão, o juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri disse que não há indicativos nos autos de que o indiciado se enquadre no grupo de risco da Covid-19.

O ex-agente penitenciário foi preso em flagrante por Policiais do Bope no dia 21 de fevereiro deste ano, quando ingeria bebida alcóolica, em uma quadra no Conjunto Tangará.
Durante a madrugada do mesmo dia, Ivanhoé assassinou a esposa Larissa Aurélia da Costa Silva com vários golpes de faca.

Depois do crime, o marido decapitou a jovem e jogou a cabeça na frente da casa da mãe da vitima. Daqui a 90 dias, Ivanhoé terá novamente a prisão preventiva reavaliada pela Justiça.