No menu items!
30 C
Rio Branco
segunda-feira, outubro 26, 2020

Coronel bombeiro protegido no Acre é preso de novo, em Rondônia, por agressão à ex-companheira

Últimas

Novos talentos: jornalista promove incentivo e premiação para crianças

A jornalista e apresentadora do canal ARTISTA EM FOCO, no YouTube, Katiussi Melo, organizou uma programação especial nesse mês de outubro, em comemoração ao...

Polícia Federal usará drones para fiscalizar eleições no Acre

A Polícia Federal usará DRONES durante as eleições a fim de auxiliar os policiais na prevenção e repressão de crimes eleitorais. Visando aumentar a segurança...

Além de amantes, prefeito Bira, de Xapuri, paga comissionados fantasmas que fazem Medicina na Bolívia

Além de duas supostas amantes do prefeito Bira Vasconcelos, pelo menos quatro estudantes de Medicina na Bolívia estariam incluídos na lista de funcionários fantasmas. Eles...

No PSL do Acre, candidato com mais potencial recebe mais fundo partidário

Se engana quem pensar que o candidato mais pobre terá maior repasse do fundo partidário para tocar sua campanha. Esse critério passou longe das...

Suposta amante do prefeito de xapuri que recebe salários sem trabalhar exclui rede social e some do mundo da ostentação

Poucos minutos após a publicação da reportagem do Acjornal, na noite da última sexta-feira, dando conta do andamento de uma investigação secreta da Delegacia...

Coronel acreano é fichado na polícia de Rondônia

O tenente coronel Kleyton de Oliveira Almeida, do Corpo de Bombeiros do Acre, foi preso em flagrante delito, neste domingo, por descumprimento de ordem judicial. O militar estava impedido de se aproximar da ex-companheira, a quem já agrediu fisicamente no passado. O acjornal denunciou a prisão anterior ( veja AQUI) e a condenação do oficial, enquadrado na Lei Maria da Penha (veja AQUI).

O delegado Marcos Correia entendeu que, além de violar a medida protetiva emitida em favor da ex-companheira, Kleyton cometeu agressão e violência psicológica.  O militar está preso no quartel da PM de Rondônia. O crime não é afiançável e ele não é mais réu primário. Kleiton tem duas condenações, todas relacionadas a abusos contra mulheres: uma de 4 meses de detenção por agressão e outra de 1 ano e 20 dias por violência psicológica.

A juíza do caso, em audiência, deixou claro que se o militar reincidisse, ele não seria solto no dia seguinte em audiência de custódia.

O Corpo de Bombeiros do Acre nada fez para apurar e punir o oficial.




- Advertisement -

Mais notícias