No menu items!
21 C
Rio Branco
quarta-feira, outubro 21, 2020

Comando do Bombeiros aguarda transferência de coronel preso por agressão à mulher

Últimas

Data Control: Socorro Neri lidera pesquisa em Rio Branco com 27.2%. Minoru tem 21.1%

A atual prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, está na preferência do eleitorado da capital acreana, segundo pesquisa de opinião pública   O Instituto Data Control...

Advogado e preso com 17 mil munições no Trevo de Senador Guiomard

O advogado Jaime Pontes Vasconcelos de 37 anos foi preso em flagrante pelo crime de porte ilegal de munição. Ele foi flagrado transportando 17...

Ditadura em Cruzeiro do Sul: enfermeira perde Chefia da Saúde da Mulher, que ocupava há 14 anos, por não apoiar o primo do prefeito...

A enfermeira Renata Barbosa usou um perfil de rede social para relatar as razões pelas quais ela foi desligada do cargo de coordenadora do...

Calote anunciado: PSL despeja tudo na campanha de Minoru e os 26 candidatos a vereador ficam sem fundo partidário

Os 26 candidatos a vereadores pelo PSL em Rio Branco não têm como tocar a campanha por falta de fundo partidário. A insatisfação foi...

Mulher assiste filme pornô gay e descobre que um dos atores é o seu marido

Uma mulher, de 26 anos, teve uma surpresa quando escolheu assistir a um filme pornô assim que seu marido foi dormir, nos Estados Unidos. Enquanto escolhia qual...

O Comando do Corpo de Bombeiros no Acre aguarda a transferência do coronel Kleyton Almeida para Rio Branco antes de “tomar as providências cabíveis”. O oficial foi preso em Porto Velho (RO), no último domingo, por descumprir ordem judicial (violou medida protetiva em favor de sua ex-companheira) e agressão psicológica.

O Relações Públicas do CBMAC, major Falcão, informou que “será necessário avaliar, em detalhes, toda a documentação que a Polícia Civil de Porto Velho irá mandar ao Acre”. E adiantou: “normalmente, a Justiça Militar é bem mais rigorosa que a Justiça Comum”.

O assessor de imprensa não soube informar por quais motivos a investigação contra Kleyton Almeida, no âmbito do Corpo de Bombeiros do Acre, não deu em absolutamente nada.”Estas informações são restritas ao Comando. São protegidas por sigilo”, explicou.

Uma sindicância interna foi aberta tão logo o coronel foi preso pela primeira vez, há cerca de dois anos, por agredir a ex-mulher. Câmeras de um comércio na Avenida Getúlio Vargas flagraram a ação violenta do militar contra a mulher, após ele invadir o apartamento dela e persegui-la.

 




- Advertisement -

Mais notícias