No menu items!
26 C
Rio Branco
segunda-feira, outubro 26, 2020

Governo do AC e CEF tentam conscientizar população para diminuir filas nos bancos

Últimas

Jornalista afirma que assessores de Jéssica Sales também espalham Fake news para atacar governador Gladson Cameli

Leandro Altheman, jornalista na região do Juruá, costuma fazer publicações contra o que chama de velha política. O jornalista afirma que as fakenews contra o...

Novos talentos: jornalista promove incentivo e premiação para crianças

A jornalista e apresentadora do canal ARTISTA EM FOCO, no YouTube, Katiussi Melo, organizou uma programação especial nesse mês de outubro, em comemoração ao...

Polícia Federal usará drones para fiscalizar eleições no Acre

A Polícia Federal usará DRONES durante as eleições a fim de auxiliar os policiais na prevenção e repressão de crimes eleitorais. Visando aumentar a segurança...

Além de amantes, prefeito Bira, de Xapuri, paga comissionados fantasmas que fazem Medicina na Bolívia

Além de duas supostas amantes do prefeito Bira Vasconcelos, pelo menos quatro estudantes de Medicina na Bolívia estariam incluídos na lista de funcionários fantasmas. Eles...

No PSL do Acre, candidato com mais potencial recebe mais fundo partidário

Se engana quem pensar que o candidato mais pobre terá maior repasse do fundo partidário para tocar sua campanha. Esse critério passou longe das...
Representantes do governo do Estado e da Caixa Econômica Federal se reuniram na tarde desta terça-feira, 14, na Casa Civil, para discutir maneiras de conscientizar a população e assim diminuir as filas das agências bancárias que têm se tornado gigantescas, representando um perigo para a saúde em tempos da pandemia de Covid-19 e que não são eficientes para a maioria das pessoas que estão na aglomeração.

Segundo o levantamento da própria Caixa em Rio Branco, a grande quantidade de pessoas que se aglomeram em filas das agências estão na busca por informações sobre o Auxílio Emergencial do governo federal, mas a própria instituição não realiza ações em relação ao recurso, onde os interessados devem acompanhar todo o processo pelo aplicativo para celular Auxílio Emergencial, ou pelo próprio site da Caixa. Quem já está no Cadastro Único e que atenda às regras do auxílio, receberá o benefício automaticamente, sem precisar se cadastrar pelas plataformas.

Atualmente, as unidades da Caixa também estão na luta para evitar proliferação do novo coronavírus e trabalham com apenas 30% de seus servidores nas agências, das 8h às 12h. A agência da Avenida Brasil, no Centro, foi a mais buscada pela população e registrou na última segunda-feira uma fila que chegou até o Palácio das Secretarias, mas apenas 375 atendimentos foram feitos no dia.

A superintendente regional da Caixa no Acre, Daiana Mabel, reforça que não são feitos atendimentos e aprovação dos cadastros do Auxílio Emergencial nas unidades e que tudo deve ser acompanhado pelo site ou aplicativo. As agências hoje se destinam a serviços essenciais como saques sem cartão, pagamento do FGTS, PIS e Seguro-Desemprego.

“O pagamento do auxílio em espécie só será iniciado a partir do dia 27 de abril. Desde quinta-feira já estamos creditando nas contas sociais digitais o Auxílio Emergencial de quem tem direito e já foi aprovado, mas esses créditos estão para pagamentos e transferências digitais. Não é necessário então que as pessoas fiquem em filas, porque não podemos fazer o pagamento do auxílio em dinheiro”, explica a superintendente.

A partir desta quarta-feira, 15, a Caixa, em parceria com o Sindicato dos Bancários, colocará sistemas de som do lado de fora das agências para explicar para a população a situação em relação ao Auxílio Emergencial.

O secretário da Casa Civil, Ribamar Trindade, externou preocupação com a aglomeração de pessoas nas agências durante a pandemia, agora que a transmissão comunitária está confirmada no Acre. Ele garantiu que o governo vai continuar auxiliando a Caixa com membros da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros nas filas, pedindo para que a população mantenha o distanciamento mínimo exigido para a contaminação e, quem sabe, até mesmo com os agentes de segurança pública dando as orientações adequadas.

Por Samuel Brian

Da Secom




- Advertisement -

Mais notícias