No menu items!
26 C
Rio Branco
segunda-feira, outubro 26, 2020

Justiça nega soltura de PM que atropelou e matou mulher na Avenida Ceará

Últimas

Jornalista afirma que assessores de Jéssica Sales também espalham Fake news para atacar governador Gladson Cameli

Leandro Altheman, jornalista na região do Juruá, costuma fazer publicações contra o que chama de velha política. O jornalista afirma que as fakenews contra o...

Novos talentos: jornalista promove incentivo e premiação para crianças

A jornalista e apresentadora do canal ARTISTA EM FOCO, no YouTube, Katiussi Melo, organizou uma programação especial nesse mês de outubro, em comemoração ao...

Polícia Federal usará drones para fiscalizar eleições no Acre

A Polícia Federal usará DRONES durante as eleições a fim de auxiliar os policiais na prevenção e repressão de crimes eleitorais. Visando aumentar a segurança...

Além de amantes, prefeito Bira, de Xapuri, paga comissionados fantasmas que fazem Medicina na Bolívia

Além de duas supostas amantes do prefeito Bira Vasconcelos, pelo menos quatro estudantes de Medicina na Bolívia estariam incluídos na lista de funcionários fantasmas. Eles...

No PSL do Acre, candidato com mais potencial recebe mais fundo partidário

Se engana quem pensar que o candidato mais pobre terá maior repasse do fundo partidário para tocar sua campanha. Esse critério passou longe das...

O cabo do BOPE Alan Melo Martins, acusado de atropelar um casal em maio do ano passado, teve mais um pedido de habeas corpus negado pela Justiça. A defesa do militar ingressou com o recurso junto a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.
No HC o advogado alegou que não existem mais os pressupostos legais para manutenção da prisão preventiva. Mas os desembargadores, por unanimidade, negaram o pedido, durante sessão por meio de videoconferência.

Alan Melo Martins foi denunciado pelos crimes de homicídio qualificado e tentativa de homicídio. Os crimes ocorreram em 18 do maio do ano passado, na Avenida Ceara.
O militar que conduzia um carro em alta velocidade atropelou o casal Silvinha Pereira da Silva de 38 anos e José da Silva e Silva de 48, que estavam numa motocicleta.
Silvinha Pereira morreu na manhã do dia seguinte. De acordo com o Ministério Publico Estadual o Alan estava sob efeito de bebida alcoólica e em altíssima velocidade após deixar um clube militar.




- Advertisement -

Mais notícias