No menu items!
26 C
Rio Branco
segunda-feira, outubro 26, 2020

Moro dá ‘unfollow’ em Bolsonaro no Twitter; presidente ainda segue ex-ministro

Últimas

Jornalista afirma que assessores de Jéssica Sales também espalham Fake news para atacar governador Gladson Cameli

Leandro Altheman, jornalista na região do Juruá, costuma fazer publicações contra o que chama de velha política. O jornalista afirma que as fakenews contra o...

Novos talentos: jornalista promove incentivo e premiação para crianças

A jornalista e apresentadora do canal ARTISTA EM FOCO, no YouTube, Katiussi Melo, organizou uma programação especial nesse mês de outubro, em comemoração ao...

Polícia Federal usará drones para fiscalizar eleições no Acre

A Polícia Federal usará DRONES durante as eleições a fim de auxiliar os policiais na prevenção e repressão de crimes eleitorais. Visando aumentar a segurança...

Além de amantes, prefeito Bira, de Xapuri, paga comissionados fantasmas que fazem Medicina na Bolívia

Além de duas supostas amantes do prefeito Bira Vasconcelos, pelo menos quatro estudantes de Medicina na Bolívia estariam incluídos na lista de funcionários fantasmas. Eles...

No PSL do Acre, candidato com mais potencial recebe mais fundo partidário

Se engana quem pensar que o candidato mais pobre terá maior repasse do fundo partidário para tocar sua campanha. Esse critério passou longe das...

Sinal de fim de relação em tempos de vida digital, deixar de seguir nas redes sociais é o maior vestígio de que a relação acabou. Nos últimos dias, o ex-juiz e agora ex-ministro da Justiça Sergio Moro deu “unfollow” no presidente Jair Bolsonaro no Twitter.

O presidente, por sua vez, continua seguindo Moro até a última atualização desta reportagem.

O ex-juiz da Lava Jato ainda segue outras autoridades do governo, como o vice-presidente Hamilton Mourão, os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Tarcísio de Freitas (Infraestrutura) e Onix Lorenzoni (Cidadania).

Sergio Moro anunciou sua demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública na última sexta-feira (24). A saída, segundo o ex-ministro, foi motivada pela decisão de Bolsonaro de trocar o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, indicado para o posto pelo agora ex-ministro. A Polícia Federal é vinculada à pasta da Justiça.

G1




- Advertisement -

Mais notícias