Rodízio é sucesso e aumenta índice de isolamento social no Acre

A cada dia, o rodízio de veículos em Rio Branco prova ser a opção mais correta para aumentar o isolamento social, com resultados já situados entre os mais expressivos do país. O segundo dia de validade das medidas em Rio Branco manteve o índice de isolamento social acima dos 50%, valor maior do que vinha sendo registrado nas semanas anteriores. De acordo com os dados fornecidos pelo InLoco, empresa de tecnologia que fornece inteligência com base em dados de localização, 50,3% da população se mantiveram em isolamento social, valor 1,8% maior do que o registrado na terça-feira anterior, dia 12, quando 48,5% da população permaneceram em casa.

Esse número, no entanto, foi menor do que o registrado na segunda-feira, que foi de 51,1%. Um dos motivos que explica essa queda foi o protesto funcionários da empresa Floresta, uma das que exploram o transporte coletivo na capital. Situação que já foi contornada com sucesso.

O valor registrado em Rio Branco foi maior ao obtido em todo o Acre, que foi de 49,8%, e, também, maior que o registrado no Brasil, que alcançou um total de 42,3% de isolamento social.

O rodízio de veículo entrou em vigor na segunda-feira, 18. Essa é mais uma estratégia implantada pela Prefeitura em conjunto com o Governo do Estado para elevar o índice de isolamento social como forma de combater o avanço do coronavírus/covid-19 na capital.

Apesar dos primeiros números registrados nesse rodízio indicarem que a estratégia está se mostrando positiva, eles ainda estão muito abaixo dos 70% sugeridos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como necessários para o controle eficaz do contágio. Governo e Prefeitura, no entanto, esperam que esses índices subam nos próximos dias a partir do aumento da fiscalização e da conscientização da população a respeito da questão.

Os dados sobre o avanço na pandemia no Acre são preocupantes, e requerem medidas duras como a do rodízio de veículos. Na terça-feira, dia 19, 248 novos infectados pelo vírus foram registrados. Um recorde até então. O número oficial de contaminados saltou de 2.234 para 2.482 pessoas, de acordo com os dados divulgados pelo boletim diário fornecido pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre).