Feijó fecha as portas para visitantes e fixa multa de R$ 150 para quem não usar máscara

Uma placa fincada na rotatória que dá acesso a Feijó alerta que visitantes não são bem vindos nesse momento de pandemia de coronavírus no Acre.

A mensagem destinada a pessoas que não são moradoras da cidade expressa a preocupação das autoridades locais com o aumento dos casos da doença.

“Devido ao covid-19 não estamos recebendo visitas nesse momento”.

A frase expressa o endurecimento da prefeitura local com medidas de combate à disseminação do vírus.

Quem precisa sair por necessidades extremas, ao retornar é obrigado a permanecer quatorze dias em isolamento domiciliar, sob monitoramento das autoridades sanitárias do município.

Qualquer caminhão de carga que chega com produtos de primeira necessidade fica estacionado na entrada da cidade.

A mercadoria é repassada para um outro caminhão, já em confinamento no município, e só depois de passar pelo processo de desinfecção é que pode ser entregue em seu destino final.

Desde o início desta semana, quando foram registrados seis novos casos de corona vírus, Feijó adotou o fechamento semir-total.

Os táxis com viagens para fora da cidade encerraram as atividades, por enquanto. Qualquer caminhoneiro que sair do perímetro urbano da cidade ao voltar é fichado e submetido ao isolamento compulsório em sua própria casa.

Quem for flagrado andando sem máscara vai ser multado em 150 reais e ainda pode responder a processo criminal por crime de desobediência.

Feijo, localizada a 364 quilômentros da capital Rio Branco é a segunda cidade na rota da BR-364 a adotar o fechamento seme-total de seus limites urbanos.

Manoel Urbano, que adotou tais medidas dois meses atrás, até o presente momento não tem nenhum registro de casos da doença entre sua população residente.

Já Tarauacá, que também havia adotado medidas semelhantes na mesma data em que Manoel Urbano fechou suas portas, foi obrigada pela justiça à voltar atrás, devido à uma ação judicial movida por um advogada que nem mora na cidade, e hoje já registra mortes pela doença e ver a situação de saúde pública se agravar a cada dia com o surgimento de novos infectados.