Após denúncia do acjornal, procurador federal investiga Márcio Bittar, que tem assessora cursando Medicina na Bolívia

O procurador da República Ricardo Alexandre Souza Lagos abriu investigação por improbidade administrativa contra o senador Márcio Bittar (MDB), que emprega, em seu gabinete, em Brasília, uma assessora que estuda Medicina na Bolívia. Gleiciane Meneses de Souza, ocupante do cargo de Ajudante Parlamentar Júnior, é ex-mulher do ex-deputado fedewral João Correia, uma das vozes mais influentes do partido.

O Acjornal fez a denúncia com exclusividade no dia 5 de setembro do ano passado (veja AQUI). O curso no território boliviano é em tempo integral. O Ministério Público Federal anexou provas de pagamento à assessora e sua matrícula na faculdade Unitepc, em Cochabamba. A necessidade de participar das aulas presenciais sugere que Gleiciane seja servidora fantasma do Senado Federal, com conhecimento do próprio senador.

A um site local, Bittar admite que a assessora mora no Brasil e estuda na Bolívia. E, segundo afirma, “isso não é problema por que os tempos mudaram e as pessoas podem trabalhar de qualquer lugar”.

O senador esqueceu que os comissionados do Congresso Nacional também assinam ponto.