Prefeito paga R$ 300 mil por tendas para organizar filas. Obrigação é da CEF

A edição do diário oficial do Acre desta sexta-feira (29) traz a homologação do contrato com dispensa de licitação e detalhes do negócio um tanto suspeito, entre a gestão de Ilderlei Cordeiro e a empresa Musical Importadora.
A organização das filas entre correntistas que vão sacar o auxílio emergencial é obrigação da agência bancária que faz o pagamento. Mas o prefeito, que está com  covid, se superou em seu lado generoso. É um bom negócio para quem alugou tendas e cadeiras, com valores difíceis de acreditar.
O Contrato válido por 90 dias de nº 679/2020 da secretaria de saúde do município e empresa P.LH. Santos Oliveira (Musical Importadora) tem objetivo de oferecer 16 tendas e cadeiras para as pessoas que ficam nas filas no setor bancário, Centro da cidade, à espera de atendimento pela CEF.
O Print com o extrato do contrato circula em vários grupos de whatsapp e tem gerado inúmeras críticas de dezenas de internautas, rechaçando os gastos: R$ 306.060,00 (Trezentos e seis mil e sessenta reais) é um valor que em tempos de COVID-19 poderia ser utilizado em diversas outras ações, como compra de medicamentos, testes e contratação de serviços que possam melhorar o trabalho de combate ao vírus.

A câmara municipal não se manifestou sobre os gastos, que deve gerar muita reclamação na opinião pública. Aliás, os recursos poderiam ser utilizados para pagar salário atrasado de servidores provisórios da secretaria de obras, que amargam falta de pontualidade da gestão em relação ao pagamento de seus vencimentos.
Tentamos contato com a secretária de saúde Juliana Pereira, que se encontra afastada por ter contraído o COVID-19, mas não conseguimos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui